quinta-feira, 23 de março de 2017

ESTOU COM "VIROSE" - E AGORA? Quero entender!

Aos leitores do blog, minhas desculpas pelo pouco fluxo de matérias locais. O titular deste informativo está acometido de forte virose.
Quase não consigo sequer levantar da cama, tal o estado em que me encontro, e ai, sigo à risca as recomendações, que são: tomar muito liquido, medicamentos que aliviam os sintomas mais fortes, como paracetamol, e muito repouso.

ENTENDENDO MAIS AS VIROSES
Tecnicamente, qualquer infecção provocada por um vírus pode ser chamado de virose, logo, existe uma vasta gama de sinais e sintomas possíveis. Entretanto, conforme já explicamos, na prática, o termo virose acaba ficando restrito aos tipos de infecção viral que são brandos e autolimitados.
Podemos dividir em três grandes grupos os principais quadros clínicos provocados por viroses: viroses respiratórias, viroses gastrointestinais e viroses exantematosas. Vamos falar um pouco sobre cada uma das três.

1- Sintomas das viroses respiratórias
As viroses respiratórias são provocados pelo vírus da gripe, chamado vírus Influenza, ou pelos vários vírus que provocam o resfriado comum, entre eles: Rinovírus, Adenovirus, Vírus sincicial respiratório, Coronavirus, Parainfluenza.
Entre os sintomas mais comuns das viroses respiratórias podemos citar:
Febre.
Espirros.
Coriza.
Sinusite.
Tosse.
Conjuntivite.
Dor de cabeça.
Dor de garganta.
Dor no corpo.
Cansaço.
Mal-estar generalizado.

Cabe salientar que o paciente não precisa apresentar todos os sintomas listados acima para ter uma virose. Um paciente que apresente apenas coriza, espirros, dor de cabeça e cansaço já apresenta um quadro bastante rico para o diagnóstico de virose respiratória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente