segunda-feira, 27 de março de 2017

Federação explica erros da arbitragem no clássico entre Flamengo e Vasco

Jogadores do Flamengo reclamam do auxiliar Daniel do Espírito Santo e do árbitro Luiz Antônio Santos após a marcação de pênalti para o Vasco - (Foto: Aílton de Freitas / Agência O Globo)
Em vídeo publicado no site da Federação de Futebol do Rio (Ferj), Sergio Santos, da Comissão de Arbitragem do Rio de Janeiro, explica os motivos do afastamento do juiz Luiz Antônio Silva dos Santos, o Índio, e do assistente Daniel do Espírito Santo do quadro de árbitros, após o pênalti marcado contra o Flamengo, que valeu o empate do Vasco em 2 a 2, domingo, em Brasília.

Depois do clássico, os integrantes do Grupo Gerenciamento de Problemas, da Ferj, concluíram que houve erro de interpretação por parte da arbitragem e decidiram pelo afastamento por tempo indeterminado. No lance dentro da área, Renê cortou a bola com a barriga, mas o juiz marcou toque de mão.
— O pênalti foi mal marcado por vários motivos. Um deles é o mal posicionamento do Luiz Antônio da Silva Santos, que estava encoberto no momento do toque, e a não participação positivamente do assistente número um Daniel do Espírito Santo, pois deveria informar ao árbitro que a bola não bateu na mão e poderia voltar atrás da sua marcação — explicou Sergio Santos.

Já a expulsão de Luís Fabiano foi considerada correta. A comissão avaliou que o atacante, ao mesmo tempo que peita o árbitro, pisou no pé dele e o desequilibrou.

— O cartão vermelho foi muito bem aplicado — disse.

O pênalti inexistente foi marcado nos acréscimos do clássico, e Nenê bateu para empatar a partida aos 49 minutos do segundo tempo.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente