sexta-feira, 2 de junho de 2017

Cinco presos são indiciados por morte de detento em CDP de Natal

Cinco presos são indiciados por morte de detendo dentro de CDP em Natal (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
A Polícia Civil indiciou cinco detentos pelo assassinato do preso Genilson Freitas Gomes da Silva, de 22 anos, dentro do Centro de Detenção Provisória da Zona Norte de Natal. Genilson morreu no dia 18 de março deste ano e foi achado dependurado pelo pescoço pouco tempo após ser colocado em convivência com outros detentos, segundo a direção da unidade.

Segundo a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investigou o caso, o crime foi motivado por Genilson ter ligações com uma facção criminosa rival. “Os suspeitos deram uma “gravata” na vítima e depois simularam que ele teria se suicidado. Amarraram cordas em seu pescoço e o dependuraram na cela”, informou a assessoria de imprensa da Polícia Civil.
Os detentos Arthur Patrick dos Santos Dionísio, 24 anos, Italo Santiago das Neves, 24, Lindenilson da Silva, conhecido como “Gigante”, de 35 anos, Willians Carlos Souza de Oliveira, conhecido como “Lobo”, 26 anos e Nicolas Ferreira de Araújo Torres, de 22 anos, foram indiciados por homicídio qualificado, que é aquele cometido em circunstâncias que tornam o crime mais grave do que já é.

Mortes no sistema prisional
Este ano, 33 detentos já foram mortos em unidades prisionais do Rio Grande do Norte. O governo do estado atribui a maioria dessas mortes à guerra entre facções criminosas rivais. Em janeiro, vale recordar, 26 foram assassinados em Alcaçuz, maior presídio do estado. O episódio, o mais sangrento da história do sistema carcerário potiguar, ficou conhecido como o 'Massacre de Alcaçuz'.

Segundo a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc), 31 presos foram mortos em 2016. Em 2015, foram 28 casos registrados.

G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente