quinta-feira, 1 de junho de 2017

Pavilhão 2 de Alcaçuz está pronto para receber detentos; 'Reestruturação completa', diz secretário da Sejuc

Aos poucos o cenário de destruição deixado pela rebelião que tomou conta da Penitenciária de Alcaçuz em janeiro deste ano vai dando lugar a um cenário diferente. O pavilhão dois da Penitenciária Estadual de Alcaçuz já está pronto para receber detentos. A estrutura foi entregue na tarde desta quarta-feira (31) após uma “reestruturação completa”, como afirmou o titular da Secretaria de Justiça e Cidadania, Luis Mauro.

Além do secretário, a secretária-chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, e o secretário da Infraestrutura (SIN), Jader Torres, também participaram da visita de inauguração do pavilhão. “Os agentes da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) colaboraram com as ideias da estrutura. Com a experiência e a vivência deles foi possível redesenhar o interior do pavilhão”, afirmou o secretário Jader Torres.

Mudanças
O ambiente claro, arejado e cheirando a tinta está dividido em duas alas (A e B), cada uma com 7 celas, que abrigam 13 detentos. O pavilhão recebeu melhorias como reforço no sistema de segurança das trancas das celas, reforço no sistema de iluminação e retirada todas as tomadas e fiações de dentro das celas, o que impedirá qualquer recarga de bateria de celular. O sistema de trava das celas também ganhou um novo reforço e eliminou os cadeados.
Pavilhão agora tem um parlatório com três salas para os detentos falarem com os advogados (Foto: Andréa Tavares/G1)

O pátio de sol foi reformulado, uma cobertura foi erguida e ganhou um banheiro. Uma marcação no chão exibe um novo mecanismo de controle dos internos no espaço aberto. “Durante o banho de Sol, os detentos não podem pisar na parte vermelha do chão. Tudo isso para deixar o ambiente mais seguro”, disse Luis Mauro. O piso também foi reforçado com concreto, mas a secretaria não informou, por medida de segurança, a espessura dessa camada.

Uma ala médica com duas salas e um ambiente para a visita íntima também foram construídos. Para os agentes penitenciários foi feito um alojamento dentro do pavilhão com banheiro e uma copa.

O pavilhão agora também conta com parlatórios para atendimento jurídico, com vidro blindado. O contato com os internos ocorre apenas por interfone. Também foram executados os serviços de recuperação hidrossanitária e pintura de toda a estrutura, paredes, pisos e lajes.
Área do banho de Sol agora tem banheiro e demarcação para contenção de internos Pavilhão 2 de Alcaçuz foi reformado e está pronto para receber detentos (Foto: Andréa Tavares/G1)
À espera
Grades nas celas, agentes a postos, prédio pronto para receber os detentos. “Agora nós acrescentamos segurança. Antes isso era um vão, onde os detentos tinham livre acesso de circulação, agora tem ordem. Não foi reformado, foi reestruturado e uma reestruturação completa”, explicou o secretário de Justiça e Cidadania, Luis Mauro.

O governo não revelou como e quando será feita a transferência dos detentos para o pavilhão, mas o titular da pasta disse que solicitou mais agentes federais e a permanência dos que já estão aqui por mais tempo para trazer os detentos que estão confinados no pavilhão 5, como é mais conhecido o Presídio Rogério Coutinho Madruga.

Os presos do pavilhão 2, assim como dos pavilhões 1 e 3, foram todos levados para o pavilhão 5, em uma operação realizada pela força tarefa de intervenção penitenciária, no dia 20 de março deste ano. A obra do pavilhão 3 já foi concluída e 334 presos já estão no local. No total, 825 presos estão no pavilhão 5, atualmente, até que as obras sejam concluídas.

Massacre
Em janeiro deste ano, Alcaçuz foi palco da maior rebelião já registrada no Rio Grande do Norte, quando presos da facção PCC invadiram pavilhão onde estavam detentos da facção Sindicato do RN e promoveram uma matança. Pelo menos 26 presos foram mortos pelos rivais no dia 14 de janeiro.

Esse evento sucedeu uma série de rebeliões que duraram uma semana, até que a força tarefa de intervenção penitenciária enviada pelo Ministério da Justiça retomasse o controle da maior unidade prisional do estado.

O pavilhão 5 foi o primeiro a passar por obras, bem como a área externa do presídio que ganhou uma cerca de proteção e ainda teve concretagem em todo o entorno do muro de Alcaçuz. Um grande muro de concreto também foi erguido separando os pavilhões 4 e 5 dos demais.

Concurso público
Mas não apenas com presídios, obras de reestruturação, grades, cercas ou muros de contenção que se faz um sistema penitenciário. É preciso material humano. O governo lançou um edital com 571 vagas para o cargo de agente penitenciário no estado. A primeira etapa está prevista para o dia 16 de julho.


A remuneração bruta é de R$ 3.153,74. São 451 vagas destinadas ao sexo masculino e 120 ao sexo feminino. As inscrições para o concurso de agentes penitenciários podem ser feitas no site do Idecan, a partir das 14h desta quarta (dia 24 de maio) até as 16h do dia 22 de junho. O valor da taxa de inscrição é de R$ 100.

G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente