quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Em 12 chacinas, quase 80 pessoas foram mortas nos últimos três anos no RN

A chacina que ocorreu nesta terça-feira (27) no bairro das Rocas, zona Oeste de Natal, foi o oitavo caso registrado no Rio Grande do Norte apenas nos primeiros nove meses de 2017. A sequência de mortes violentas e com mais de quatro vítimas começou em janeiro, com o 'Massacre de Alcaçuz', e deixou um rastro de sangue com mais de 59 mortes. É um número muito superior aos anos anteriores.

Em 2016, o estado teve dois casos, nos meses de agosto e outubro, em João Câmara e Natal, com um total de 11 mortos. Em 2015, nove pessoas morreram em duas chacinas ocorridas em Tibau e em Itajá, onde cinco mulheres foram mortas em um prostíbulo. Já 2014 sequer teve registro de caso semelhante. Com esses casos, o estado somou 79 pessoas vítimas desse tipo de crime, nos últimos três anos. 

No Rio Grande do Norte, o Observatório da Violência Letal Intensional (Óbvio) - instituto que realiza levantamentos sobre homicídios no estado - considera chacina os casos em que quatro pessoas ou mais são assassinadas. Para fazer o levantamento, o G1 e a Inter TV Cabugi consideraram apenas os casos em que as vítimas estavam no mesmo local, hora e circunstâncias, quando foram mortas.

Consultada pelo G1, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, afirmou que o termo 'chacina' não é usada pela organização e os casos são tratados como múltiplas mortes, a partir de duas vítimas, não havendo número máximo.

G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente