sexta-feira, 22 de setembro de 2017

OPOSIÇÃO SE NEGA A APRECIAR PROJETO DE LEI QUE REMANEJA DINHEIRO PARA PAGAMENTO DE SERVIDORES DE ANGICOS


O Sindicato dos Servidores Público de Angicos – SINDSPAN, e parte dos funcionários da prefeitura de Angicos foram até a câmara de vereadores da cidade acompanhar as discussões sobre o Projeto de Lei do executivo municipal que pretende legalizar o remanejamento de valores dentro do orçamento aprovado em 2016 e assim, manter em dia a folha de pagamento do funcionalismo.

As explanações feitas na noite desta sexta feira, 22, na câmara de vereadores de Angicos foram todas na direção de se discutir esse Projeto de Lei e o remanejamento de crédito para o pagamento citado dos servidores públicos municipais de Angicos.

A discussão foi em torno dos valores pedidos, algo em torno de seis milhões de reais e um pouco mais. E a oposição se colocou logo no início, como resistente a aprovação da Lei. O  vereador Jalmir Dantas insistiu em dizer que o prefeito não precisava da aprovação da câmara, e apesar do pedido do Sindspan, que levou até a Tribuna da Casa o advogado Denes Marques, que pediu aos vereadores sensibilidade com relação a apreciação e votação da matéria em pauta, o vereador Jalmir continuou inflexível  nas suas colocações e deixou claro sua intenção de não votar a favor, prejudicando dessa forma, o pagamento em dia dos servidores.

Vários dos vereadores discutiram e levaram suas palavras. Ficou nítido a posição da oposição em estabelecer limites e dificuldades para a apreciação do Projeto, que já está na câmara desde o dia 25 de agosto, ou seja, há quase um mês.

Quando falou, o vereador Tiago Braga, fez discurso aconselhando o prefeito a demitir contratados e comissionados e pediu, através de Requerimento, que o projeto seja devolvido ao prefeito, o que pode provocar o atraso no pagamento de parte dos servidores, se a correção não for feita em tempo célere. Apesar da correção alertada pelo vereador ser referir a apenas um número, a troca de um 3 por um 1, não ouve acordo, mesmo o líder do prefeito, vereador neto de Dezin apelando para a sensibilidade da oposição, dizendo: ”vamos aprovar como está, pois não fere essa Casa, e em seguida faremos as correções”.
A vereadora Edileuza Palhares foi muito feliz quando discursou, apelando aos corações dos vereadores, explicando que são centenas de pais e mães de família que podem ser prejudicados com a não aprovação do Projeto.

 Ela disse que em outras vezes já se teve projetos semelhantes que foram aprovados sem que ninguém ficasse prejudicado.

Em entrevista ao blog, o Secretário municipal de Finanças Railton Macêdo, lamentou o que aconteceu, pois segundo ele, fez visitas a câmara na manhã desta sexta e conversou bastante com os vereadores, e em nenhum momento o vereador Tiago Braga ou qualquer outro falou sobre o pequeno erro de escrita. Segundo Railton, ainda dá pra consertar e mandar em tempo, se não houver nenhuma outra interrupção no processo. No entanto, o secretário fez questão de deixar claro que o prefeito Deusdete Gomes e a gestão municipal estão cumprindo a risca a Constituição Federal, quando envia o projeto pedindo ao legislativo a autorização para o pagamento.

Por sua vez, o vereador Jalmir Dantas anunciou que na próxima semana irá ao Ministério Público fazer consulta e garantiu que os servidores não receberão com atraso. O vereador Tiago respondeu, dizendo que irá também ao MP, junto com o colega Jalmir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente