quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Renault Kwid fica com 3 estrelas em teste de colisão

Renault Kwid recebeu 3 estrelas em teste de impacto (Foto: Latin NCap/Divulgação)
O Renault Kwid recebeu 3 estrelas em teste de colisão realizado pelo Latin NCap, divulgou a entidade nesta quinta-feira (16). Modelo recebeu nota mais alta que Chevrolet Onix e Ford Ka, que foram reprovados em proteção para adultos.

"É bom ver quão rápido podem reagir os fabricantes em relação com o primeiro Kwid avaliado (versão fabricada na Índia e testada pelo Global NCAP) e esse Kwid brasileiro de três estrelas", disse Alejandro Furas, secretário-geral do Latin NCap. 

Em 2016, o Kwid indiano recebeu nota zero em teste de colisão feita pela Global NCap, organização global à qual o Latin NCap ligado.
  
De acordo com a montadora, o carro teve a estrutura reforçada para a versão brasileira. Em seu novo teste, o Kwid recebeu 3 estrelas em proteção para adultos e também 3 estrelas em proteção para crianças. O máximo são 5.

Apesar de serem reprovados em proteção para adultos, Onix e Ka também receberam 3 estrelas no quesito proteção para crianças.

O modelo utilizado do Kwid neste teste é feito no Brasil, tem 4 portas e 4 airbags, que são de série no hatch.

Como o Kwid reage aos impactos?
De acordo com o Latin NCap, o Kwid mostrou uma proteção frontal adequada e proteção marginal contra impactos laterais com uma proteção fraca no peito do adulto, porém suficiente para alcançar as três estrelas sólidas na proteção deste ocupante.

No impacto lateral, teste em que Onix e Ka foram mal, a estrutura da carroceria do Kwid evitou atravessar, de forma excessiva, a barreira de impacto lateral. E, combinada com o airbag do tórax lateral, ela amenizou as lesões dos "bonecos" adultos.

Os ocupantes "crianças" mostraram uma proteção adequada e boa nos testes de impacto frontal e lateral porque os sistemas de retenção (cadeirinha, por exemplo) foram instalados utilizando ancoragens do tipo Isofix e Top Tether.

Mas o modelo não conseguiu nota máxima porque não tem cintos de 3 pontos em todas as posições e não conta com interruptor para desativar o airbag frontal do passageiro, caso seja necessário instalar um sistema de retenção infantil nesse assento e que seja voltado para trás, caso do bebê-conforto.

Como é o teste do Latin NCap?
Nas colisões laterais, o carro recebe um impacto de lado por meio de uma barreira deformável montada em um carro padronizado de 850 kg, que se desloca a 50 km/h.

Esse tipo de teste era opcional até 2015: só era feito se a montadora quisesse. Agora, ele inclui também bonecos "crianças" e seus devidos suportes.

Além disso, o controle eletrônico de estabilidade e o teste de poste viraram requisitos para ter a avaliação máxima. De acordo com a nova regra, ter 4 estrelas significa que o veículo mostrou bom desempenho em impacto frontal e lateral e passou no teste ESC.

Caso um modelo tenha conseguido zero estrela no impacto frontal, a entidade nem testa o impacto lateral, dando um resultado total de zero.

Mesmo no teste de impacto frontal, o Latin NCap é mais rígido do que a lei dos principais mercados. Ele é feito com o veículo a 64 km/h, enquanto, na Europa, a velocidade é de 56 km/h. Apenas 40% do carro colide com a barreira nesses dois testes. Nos EUA, a colisão é de 100%, a 48 km/h.

Veja o vídeo e matéria original clicando AQUI!

Auto Esporte, G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente