segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

App de namoro: 13% dos usuários liberam dados pessoais em minutos de conversa

Uma pesquisa da Kaspersky Lab com internautas de 32 países aponta que 13% das pessoas que usam aplicativos de namoro online como Tinder, Happn e outros costumam revelar informações sensíveis — como nome completo, perfis de redes sociais ou endereços residenciais e de trabalho — após conversarem online com outros usuários por apenas poucos minutos.

Pesquisa revela desleixo de usuários com senhas e lista riscos de invasão
Além disso, o estudo constatou que o público que usa este tipo de aplicativo costuma ser duas vezes mais suscetível a se envolver em incidentes de segurança, como instalação de malwares e roubos de informações e de identidade.

O estudo foi realizado através de um questionário online com 21.081 usuários com mais de 16 anos em 32 países diferentes. Os dados analisados correspondem a uma amostra de 6.458 pessoas que admitiram usar aplicativos de encontro.

Uma parcela dos entrevistados (13%) admitiu que compartilha dados sensíveis, como seu nome completo, perfis de redes sociais ou endereços, após conversar apenas poucos minutos com outros usuários. O número, entretanto, é menor do que aqueles que possuem mais cautela e esperam muitos meses (19%) até confiar plenamente em seus novos contatos.

A Kaspersky Lab aponta que apesar de o perfil em um aplicativo ser parte importante do processo de encontros, isso não significa que as informações compartihadas sejam seguras. Segundo a desenvolvedora, muitas pessoas revelam dados sensíveis sobre elas mesmas de forma pública:

10% dos usuários mostraram seu endereço residencial,
10% mostram detalhes sobre seu trabalho ou família
15% compartilham fotos suas ou de familiares
9% mostram imagens íntimas

"Revelar estes dados pode significar que uma relação que começou online pode avançar rapidamente, com pessoas deixando de serem estranhas e passando a poder acessar o endereço ou telefone de outros em questão de minutos. Isto não é sempre seguro ou uma coisa boa", diz o relatório. 

A análise indicou que entre o total de pessoas que admite usar aplicativos de encontro, 41% sofreram algum incidente de segurança, como infecção com vírus ou malware, contas hackeadas ou fraude financeira. O número é mais que o dobro do encontrado com usuários que não tem os apps (20%).
  
Apesar destes dados, a maior parte dos entrevistados (61%) estão preocupados com o vazamento de suas informações, enquanto 63% temem que seus dispositivos possam ser infectados por malware. Outros receios incluem roubo de dados e o uso deles para rastreio de seus donos (ambos com 59%). 

TechTudo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente