quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Governo do RN pede ajuda das Forças Armadas para garantir segurança no estado

Militares foram chamados para ajudar na segurança das ruas em outras oportunidades no governo Robinson Faria (Foto: Elias Medeiros)
Diante da paralisação de parte dos servidores da segurança pública do Rio Grande do Norte, o Governo do Estado solicitou ao Governo Federal, nesta quarta-feira (20), um incremento no número de policiais da Força Nacional e o apoio das Forças Armadas para atuar no território potiguar.

No documento, direcionado ao Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Sérgio Westphalen Etchegoyen, o governo argumenta que o movimento iniciado por servidores da segurança do Estado tem comprometido a normalidade do serviço público oferecido por essas categorias. 

Desde esta terça-feira (19), a maior parte do efetivo da Polícia Militar do Rio Grande do Norte não tem saído para trabalhar nas ruas. Trata-se de um protesto dos PMs, por causa dos atrasos salariais que vêm acontecendo há meses no estado.

Nesta quarta (20), a Polícia Civil e os agentes penitenciários também aderiram ao movimento. Os agentes, delegados e escrivães da polícia estão trabalhando em regime de plantão. Os agentes penitenciários entraram em greve e os presídios estão sendo operadas com efetivo reduzido.

Desde a manhã desta segunda (19), dois bancos foram alvos de criminosos e um supermercado sofreu um arrastão.

Na Saúde Pública o serviço também está comprometido. Os centros cirúrgicos de dois hospitais de Natal, o Hospital Ruy Pereira e o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, foram fechados. Isso porque os enfermeiros também paralisaram suas atividades em virtude dos pagamentos atrasados.

O governador Robinson Faria foi até Brasília para tentar, junto à União, conseguir dinheiro para pagar os salários de novembro e o 13º salário dos servidores do Estado. Contudo não há confirmação sobre quando o monte estará disponível, bem como não se sabe quanto de dinheiro será disponibilizado para o RN.

Terceira vez
Essa é a terceira vez que o atual governo solicita ajuda à Forças Armadas. Em agosto de 2016, 1.200 militares do Exército e da Marinha vieram para o RN para auxiliar no patrulhamento das ruas. O pedido foi feito pelo governador após uma série de ataques criminosos a ônibus e prédios públicos desencadeados com a instalação de bloqueadores de celulares nos presídios do Estado.

Em janeiro deste ano, o governo voltou a pedir reforço das Forças Armadas. Militares do Exército, Aeronáutica e Marinha atuaram nas ruas de Natal e de cidades da Grande Natal, com o objetivo de coibir novas ondas de ataques a ônibus. Dessa vez os ataques começaram após a rebelião de Alcaçuz.

G1RN