quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Capacidade dos reservatórios potiguares despencou 62,4% em oito anos


A capacidade de água superficial no Rio Grande do Norte despencou 62,4% nos últimos 8 anos. O dado considerado alarmante por especialistas foi analisado pelo Grupo de Segurança Hídrica do Governo do Estado em reunião nesta terça-feira, 27, no Gabinete Civil.

Em 2010, os reservatórios potiguares estavam com 73,30% da capacidade total. O número caiu para 13,57% em 2017 e, atualmente, é de apenas 10,90%. Os dados foram repassados pelo próprio Gabinete Civil do Estado após a reunião. 

“A maior queda foi de 2011 a 2014. A partir de 2015, passamos a controlar a situação. Se não fosse esse controle estaria pior”, contou Josivan Cardoso, Diretor-presidente do Instituto de Gestão das Águas (Igarn).

Conforme dito por Cardoso ao PORTAL NO AR, se as chuvas registradas este ano seguirem na mesma intensidade, espera-se que os reservatórios potiguares cheguem a “30% ou 40% da capacidade hídrica do estado até o fim do ano”.

Com as barragens cada vez mais secas, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) enfrenta dificuldades para abastecer os 167 municípios do estado. Hoje, 15 cidades potiguares estão em colapso de abastecimento e outras 84 são abastecidas por meio de rodízio.

A água chega a estes municípios em colapso através de 70 caminhões-pipa que estão a serviço da Operação Vertente. Os veículos fazem a captação em quatro cidades (Afonso Bezerra, Apodi, Parelhas e Vera Cruz) para abastecer aos moradores dos locais que não podem contar mais com o serviço de abastecimento da Caern.

Chuvas tiram Santana do Matos do colapso

Mesmo que, de acordo com o Igarn, as chuvas que caem desde o começo deste ano terem provocado pouca melhora na situação das reservas hídricas potiguares, elas já diminuíram a quantidade de municípios em colapso. Isso porque até o último dia 23, eram 16 cidades nesta situação.

Quem se livrou do colapso foi Santana do Matos, no Central Potiguar. De acordo com a Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn), choveu 297,5 mm no município desde o começo do ano. As chuvas fizeram com que o açude Rio da Pedra, que abastece a cidade, recebesse 1 milhão de metros cúbicos de água.

Assim, o açude que estava com 0,08% do volume total atingiu 8,62% da capacidade, que é de 13 milhões de metros cúbicos. Os dados são do Igarn.

Ações emergenciais

A Caern também trabalha com ações emergenciais como a construção de uma nova adutora para captação da água do volume morto da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, que atualmente, segundo o Igarn, está com 10,99%, o que corresponde a 263,688 milhões de metros cúbicos. Anteriormente às chuvas, estava com 10,84% da capacidade.

Portal no Ar