quinta-feira, 8 de março de 2018

José Agripino é substituído por ACM Neto na presidência do DEM


O Democratas realiza nesta quinta-feira, 8, sua convenção nacional tentando passar a ideia de “refundação” do partido. Para isso, a legenda promoveu alterações que vão desde a eleição de um novo presidente até a mudança de seu logotipo.

O prefeito de Salvador (BA), ACM Neto, foi eleito o novo presidente nacional do DEM. Ele substituirá o senador potiguar Agripino Maia, que comandava a sigla desde março de 2011. A mudança se deu após Agripino virar réu em dezembro por suspeita de corrupção na construção da Arena das Dunas. 

ACM Neto foi recebido com gritos de “governador” ao chegar ao auditório da Câmara dos Deputados onde o partido realiza sua convenção nacional. Neto analisa renunciar ao cargo de prefeito da capital baiana para concorrer ao governo do Estado nas eleições deste ano.

A primeira medida de ACM Neto como presidente será destituir os presidentes das comissões provisórias estaduais e municipais do partido. Novos dirigentes serão escolhidos nas próximas semanas. A medida visa acomodar a chegada de novos filiados à legenda.

O logotipo da sigla foi alterado para um “D em movimento”, como define o líder do partido na Câmara, deputado Rodrigo Garcia (SP), feito com linhas da cor azul e verde. A imagem substituirá o antigo logotipo: uma árvore com folhas com as mesmas cores do “D em movimento”.

Guinada ao centro

Na convenção, o Democratas também divulgará manifesto no qual apresenta suas prioridades na área econômica e social. No documento, o partido se define como de “centro democrático”, abandonando a roupagem de direita que acompanhou a legenda desde que se chamava de PFL.

“Houve, sem dúvida, nos últimos anos, uma mudança geracional no Democratas, que veio fazendo com que o partido refinasse suas ideias. O mundo muda muito rápido, e é natural que partidos possam também mudar. O partido deve modernizar sua compreensão sobre o País, sobre a sociedade, sobre a política”, justificou ACM Neto.

No evento, o Democratas deve oficializar a pré-candidatura à Presidência da República do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ). O partido não lançava um candidato desde as eleições de 1989, quando ainda se chamava PFL e lançou Aureliano Chaves como presidenciável.

Estadão Conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente