sexta-feira, 23 de março de 2018

Secretaria de Educação pede que professores desistam de greve no RN

Do portal Agora RN: 

A Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEEC) emitiu nota solicitando aos professores e profissionais da rede de ensino no Rio Grande do Norte que repensem a decisão de paralisar suas atividades.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte-RN) deflagrou na última quinta-feira, 22, a paralisação após assembleia.

Os educadores não aceitaram as propostas oferecidas pelo Governo para solucionar o imbróglio envolvendo o reajuste salarial de 6,81% ao qual a categoria tem direito, e que não vem sendo aplicado. 

Na nota, a SEEC explica suas propostas e afirma que o Governo do Estado não tem condições de ir mais além do que já foi oferecido. Ela pede que os profissionais da rede de ensino potiguar “reflitam” sobre os prejuízos que podem surgir em decorrência da greve.

Confira a nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do RN lamenta a greve dos professores que atinge uma parte da rede estadual de ensino. A pasta comunica que as propostas para atender a demanda de atualização do Piso Salarial do magistério foram apresentadas, expressando o empenho do Governo de garantir a valorização dos professores e a normalidade do ano letivo.

Após estudos criteriosos, a Secretaria de Educação do RN enviou dois documentos ao Sindicato com a apresentação de cinco propostas, contemplando servidores ativos e inativos, sem distinção.  Todas as propostas apresentadas foram rejeitadas pela categoria, que tem seus salários pagos dentro do mês trabalhado e tem a garantia do reajuste salarial.

As propostas foram: Reajuste de 6,81% parcelado de julho a novembro para ativos e inativos; reajuste parcelado em junho (3%) e setembro (3,81%) para ativos e inativos; reajuste de 6,81% parcelado de abril a setembro para ativos e inativos; reajuste de 3% em junho para ativos e inativos. Em julho seria pago mais 3,81% para os servidores da ativa e essa mesma porcentagem seria paga para os inativos no mês de setembro; reajuste de 6,81% para ativos em abril e os inativos receberiam em 5 parcelas de 1% e a 6ª parcela de 1,81%, entre os meses de abril a setembro.

As propostas foram feitas dentro das condições que o Governo tem para suportar o pagamento, honrando todos os compromissos com os educadores.

Na última segunda (19), a convite da secretária Cláudia Santa Rosa, dirigentes do SINTE/RN estiveram na sede da SEEC para conhecer as quatro últimas propostas, sendo que a primeira foi rejeitada pelo sindicato na sexta-feira passada (16), e ouvir esclarecimentos sobre os recursos da educação estadual. O diálogo com a categoria sempre foi aberto, frequente e estreito. A SEEC destaca que, neste momento, o RN é um dos poucos estados que discute a atualização dos vencimentos dos educadores. Cada estado tem feito da maneira que as finanças permitem.

A SEEC convida a todos para refletir sobre os prejuízos que uma greve gera para os estudantes e apela para a categoria reavaliar o posicionamento.