domingo, 20 de maio de 2018

MUNICIPALIZAR OU FECHAR? – as únicas opções para o Hospital de Angicos são claras

A determinação do Ministério Público do RN estabelecendo a municipalização de vários hospitais regionais trouxe à tona um problema que há anos cerca a nossa região, que é a mudança que vai acontecer no HRA de Angicos.
Algumas pessoas se fazem de desentendidas, e saem proferindo discursos de ódio e incentivo a ignorância.
Ja outros, caso da Vereadora Katia de Deda e do pastor Gilvan Nunes, externaram seus posicionamentos nas redes sociais na entrada do fim de semana, e ambos criticaram o processo, levantaram dúvidas sobre a municipalização e apontaram culpados por tal medida.
Gilvan, mais polido, se disse defensor dos angicanos, e fez uma verdadeira convocação popular para o enfrentamento, de tal forma que as autoridades recuassem. Na sua fala, o pastor, que também é o gerente da FM Comunitária Cabugi Central, afirma que está havendo equivoco até por parte da promotoria. Gilvan caracterizou como "injustiça" a municipalização.
Já a vereadora Kátia de Deda foi mais voraz, irônica e inverídica. Apontou culpados irreais, citou o prefeito de Angicos e a Secretária Nataly Felipe (da pasta da saúde local), e até mesmo o governador Robinson Faria, dizendo que estes são responsáveis.
E assim se armou o palanque pra 2018. Puro e claro. Na fala da vereadora, não merece voto quem está “mexendo” com o hospital.
Mas a verdade é que ela esqueceu de apontar o verdadeiro mandante da municipalização: o Ministério Público do RN.
Sem querer detonar ou denegrir quem quer que seja, o blog entende que é melhor municipalizar do que fechar.
Pois são as duas únicas alternativas. O processo já está avançado, já foi assinado pelos juízes e ministério público local e estadual.
E até tem prazo definido, ou seja, claramente, se não municipalizar o governo simplesmente retira os recursos humanos e de insumos. Vai ficar apenas a estrutura física.
Será que é isso que a oposição realmente quer?

CONTINUA NA PRÓXIMA MATÉRIA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente