quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Rodovias federais no RN têm mais acidentes e feridos que 2017


-->
As rodovias federais que cortam o Rio Grande do Norte registraram nestes oito meses de 2018 mais acidentes e feridos do que no mesmo período de 2017. O cenário é baseado em dados repassados à reportagem nesta semana pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com atuação no estado.

Segundo a PRF/RN, entre janeiro e agosto deste ano, as BRs no território potiguar foram alvo de 953 acidentes, com 1.068 pessoas feridas. No mesmo período do ano passado, esses números foram menores: 943 acidentes e 988 feridos. 

Ainda de acordo com a PRF/RN, no que se refere à quantidade de mortes resultantes de acidentes de trânsito nas rodovias federais do estado, o número de casos se manteve estável: 82 óbitos, tanto em 2018 quanto em 2017. O levantamento mostra ainda que o RN registrou 41.673 notificações por infrações de trânsito entre janeiro agosto de 2017.

A PRF/RN informou que os mais comuns foram excesso de velocidade (9.371), ultrapassagem indevida (3.354), falta do cinto de segurança (2.019), ausência de capacete (930) e direção sob efeito de bebida alcoólica (780). Já no mesmo período deste ano, foram 41.115 notificações por infrações de trânsito, sendo 11.943 por excesso de velocidade, 2.658 por ultrapassagem indevida, 1.550 por falta do cinto de segurança, 1.050 pela ausência de capacete e 740 por dirigir sob efeito de bebida alcoólica.

A PRF/RN lembrou que durante a Semana Nacional de Trânsito deste ano, foram realizadas várias ações, como palestras sobre segurança no trânsito em escolas e empresas, exposição em shopping e blitz educativa em rodovias.

Governo Federal estima que RN reduza de 15 para 7 mortes no trânsito até 2028

Um levantamento divulgado nesta semana pelo Ministério das Cidades traçou metas de redução de mortes no trânsito no país. Na estimativa, o Rio Grande do Norte deve diminuir de 15,68 óbitos por 100 mil habitantes em 2018 para 7,84 em 2028.

Já em mortes por 10 mil veículos, o estado potiguar aparece com taxa de 4,37 neste ano e 1,63 nos próximos dez anos. O estado de Tocantins figura com maior taxa: 37,13 mortes por habitantes no trânsito em 2018. Na outra ponta, aparece Amazonas com 9,83.

O cenário foi apresentado nesta terça-feira (25), em Brasília, pelo ministro das Cidades, Alexandre Baldy. Na ocasião, ele detalhou o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (PNATRANS). A meta da União é chegar ao “índice zero de mortes”. Em todo o país, os números de acidentes com vítimas mortas no trânsito são considerados alarmantes. Mais de 130 brasileiros morrem todos os dias.

Lei Seca no RN autua mais de 1.800 motoristas nos oito meses do ano

Mais de 1.800 motoristas já foram autuados pela Lei Seca no Rio Grande do Norte entre o início deste ano e o começo deste mês. O dado é do setor de Estatística de Departamento Estadual de Trânsito do RN (DETRAN).

Segundo o órgão, até o início de setembro deste ano, já foram autuados 1.875 motoristas por desrespeito à Lei Seca no estado em 2018. Nesta terça-feira (25), o Detran divulgou os números de mais duas blitze realizadas neste final de semana. A fiscalização faz parte das ações de segurança viária ampliadas pelo órgão durante a Semana Nacional de Trânsito (SNT).

Dessa vez, as intervenções foram realizadas nos municípios de Parnamirim e Natal, sendo montadas barreiras de fiscalização na Avenida Maria Lacerda Montenegro e na Ponte Newton Navarro. No total, foram efetivados 632 testes de etilômetro (bafômetro), 311 em Parnamirim e 321 em Natal.

O resultado alcançado foi de 30 motoristas autuados por embriaguez ao volante, sendo um deles preso sob acusação de crime de trânsito. Os policiais ainda lavraram outros 13 autos de infração por motivos diversos e uma motocicleta foi retida e conduzida ao pátio de veículos apreendidos do Detran. Nesse caso, o condutor do veículo, ao ter visualizado a barreira policial, tentou furar o bloqueio, porém foi perseguido e detido pelos policiais da Lei Seca.

Fábio Vale, Portal DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente