segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Styvenson: político ou “antipolítico”? eis a questão!


O candidato ao senado Styvenson Valentim (Rede), o chamado, “antipolítico”, vem se destacando a cada nova pesquisa.

Hora aparece em 1º lugar, hora em 2º, hora em terceiro, mas o fato é que ele emplacou o sentimento popular “antipolítico”.

No entanto, talvez o grande problema de Styvenson seja exatamente esse na reta final da campanha.

Veja o caro leitor, que ele tem o perfil mais forte e mais frágil ao mesmo tempo. O Senado é uma Casa de alto grau de responsabilidade, pois é ali que se estabelece uma relação de igualdade entre todos os estados do Brasil. É ali que todos os estados, grandes ou pequenos, têm a mesma força e a mesma quantidade de votos (três senadores para cada um).
Por outro lado, nenhum outro tem que ser tão político quanto um senador, pois é uma das pontas do tripé que sustenta a soberania do estado e luta por verbas a serem aplicadas junto ao povo.

Acontece que ele se proclama "antipolítico" e diz que não quer ligação com nenhum grupo ou partido político. Mas como senador ele terá que lutar pela população do RN. Como usar dois pesos e duas medidas diferentes?
Isso pode pesar na reta final, pois os adversários de Styvenson já perceberam que ele ainda não tem a noção exata do que vai fazer. E podem aproveitar o discurso em cima disso.