segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Eleição da Câmara Municipal em Serra de São Bento acaba na justiça

As eleições na Câmara Municipal de Serra de São Bento estão previstas para dezembro próximo e prometem acirrar a disputa. O Ministério Público do Rio Grande do Norte começa investigar supostos atos irregulares do presidente do legislativo, Paulo Paulino (PP). Uma das denúncias é que a mesma advogada do legislativo é da Prefeitura Municipal de Serra de São Bento, Nielly Fernandes. O MP da comarca de São José do Campestre abriu inquérito civil, sob nº 037/2018, para apurar suposto crime de perseguição política na Câmara contra cinco vereadores de oposição.

“A mesma advogada da Câmara ser a mesma da Prefeitura? É um absurdo. Já virou muito comum funcionários da Prefeitura circularem, sempre presentes, na Câmara Municipal, e os da Câmara Municipal na Prefeitura. Isso só mostra que a prefeita Wanessa Morais está mandando na Câmara. Foi exonerado o secretário de Saúde só para participar do plano, para assumir cargo de vereador na Câmara para o presidente da Câmara ter voto”, disse a vereadora Maria Auxiliadora (PR).

O inquérito do MP é aberto por suposto crime de improbidade administrativa por perseguição política até falsificação de documento público, contra o atual presidente da Câmara Municipal de Serra de São Bento, vereador João Paulino, não querendo perder o poder tentou afastar 4 vereadores através de um livro de atas criado em paralelo constando sessões que não existiram de fato. A Polícia Civil já iniciou a investigação da denuncia que envolve além do presidente João Paulino, a assessoria jurídica da CMSSB e até a prefeita do município.”

OS DOIS LIVROS ATAS
A vereadora Auxiliadora acrescenta garante que a oposição foi pega de surpresa com dois livros atas, caracterizando uma ata falsa na Câmara Municipal de Serra de São Bento para atender estratégia política da presidência do legislativo. “Sempre teve só um livro de ata, aí, de repente, foi criado um segundo livro só para prejudicar vereadores de oposição, só porque são oposição? Tudo isso está sendo feito para fragilizar nosso grupo e querer fazer falcatrua. Fomos pegos de surpresa com dois livros atas, depois que veio da Prefeitura. Agora um chefe de gabinete da Prefeitura pode pegar o livro de ata da Câmara? Que força é essa? E tendo quatro funcionários na Câmara que poderiam até fazer isso? Ali há decisões sigilosas que competem a mesa diretora”, afirma Auxiliadora.

E detalhe. “Quando a ata voltou para Câmara, nós, vereadores, fomos pegos de surpresa, nos deparando com um novo livro de ata, não com o livro de ponto, mas sim com duas atas existentes na Câmara que até aquele momento só tínhamos conhecimento de uma. As atas são falsas, foram feitas só depois das sessões. Com isso, não estão de acordo com o regimento interno da Câmara, sem ser assinada e aprovada pelos vereadores presentes. No expediente, não teve leitura da ata. As sessões estão sendo atropeladas dessa forma. O presidente não conhece o regimento, não cumpriu o regimento. Isso é uma falcatrua”, afirma Auxiliadora.

O vereador José Sérgio (MDB) também combate a manobra. “É muita omissão do presidente nas sessões anteriores. Ele nunca convocou, na falta do 1o secretário, nunca convocou a mim, como 2o secretário, para fazer a leitura da ata. Tudo isso está acontecendo é perseguição política”, disse o vereador José Sérgio (MDB).

A vereadora Cimar Crisanto fez um vídeo sobre a retirada da ata da Câmara para Prefeitura de Serra de São Bento. “Funcionário da Câmara foi pegar livro de ata e livro de ponto na Prefeitura, chegando duas atas para surpresa dos vereadores. Aécio, chefe de Gabinete da Prefeitura, levou para Prefeitura, e o funcionário contratado da Câmara, Matheus, foi pegar depois, saindo por traz com uma moto pelos fundos da Prefeitura. Isso é um absurdo, uma falta de respeito com os vereadores. Nós somos vereadores e não temos acesso a nada. A gente pede documento e não é atendida. Está claro uma manobra, falcatrua, um perseguição meramente política com interesse às vésperas da eleição da nova mesa diretora da Câmara”, revela a vereadora Cimar Crisanto (PDT).

O município de Serra de São Bento está sem secretário de Saúde, já que o ex-secretário, Manoel Rodrigues (MDB), voltou assumir o cargo de vereador para participar desse momento às vésperas das eleições da presidência da Câmara.

Ceará Mirim Livre
-->