sexta-feira, 3 de maio de 2019

Garrafão de água mineral tem reajuste de R$ 0,50


Começou nesta quinta-feira, 2, a ser repassado o aumento do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no preço do garrafão de água mineral, que tinha sido anunciado pelo Governo Estadual desde novembro de 2018. Com o aumento, o consumidor pagará uma média de R$ 0,50 a mais pelo preço do garrafão de 20 litros.

O presidente da Associação das Águas Envasadas e Adicionadas de Sais do RN (ASSINDAE/RN), George Darlos, informou à reportagem do JORNAL DE FATO que o aumento do imposto estadual é de 110%, ou seja, o aumento líquido na fonte é de R$ 0,12. Ele explica ainda que esse aumento considerável se deu devido há 12 anos de defasagem no reajuste desse imposto.

“O imposto que está aumentando é o ICMS, que está tendo um reajuste de 110%. Esse aumento foi devido à defasagem que já existia nele, já que fazia 12 anos que esse imposto não era reajustado. O aumento foi anunciado desde o ano passado, em novembro, quando o Governo fez o ato homologatório, e começou a vigorar agora, nesta quinta-feira, 2. Na época que ele foi lançado, em novembro, o aumento era de 463%. Mas, em negociação da Secretaria de Tributação com a gente da associação e com os empresários da água, conseguimos chegar a este valor de 110%”, comenta George Darlos.

O presidente da Assindae disse ainda que o aumento do botijão de água para os consumidores será de fato em 10%. “O ICMS equivale hoje a cerca de 10% a 15% do valor da água. Então, de fato mesmo a água vai aumentar para o consumidor final cerca de 10%. Quando o consumidor pagava uma água de R$ 4,00, R$ 5,00, R$ 4,50, ele vai pagar agora em torno de R$ 0,50 até no máximo R$ 1,00 por botijão de água. Vai depender muito da marca da água que ele trabalha”, comentou.

“Nós temos hoje o ICMS de 10 centavos por água produzida, seja ela adicionada a sais ou mineral (são essas duas categorias que existem). Então, essas duas águas vão passar de R$ 0,10 para R$ 0,22, que é o aumento de ICMS. Então, R$ 0,12 de aumento líquido na fonte, vai passar para o distribuidor, o distribuidor vai passar para o revendedor e o revendedor vai passar para o consumidor final. Isso vai onerando em um efeito em cascata, que quando chegar ao consumidor, vai ter um aumento líquido de aproximadamente R$ 0,50”, explicou George Darlos.

O presidente da associação disse ainda que esse aumento não é visto com bons olhos, porque todo reajuste de preço vai chegar até o consumidor e isso inflaciona o produto. “Isso é ruim para nós que produzimos. Mas, vale ressaltar que a indústria não está aumentando o valor da água; está apenas repassando o valor do ICMS, que é um imposto estadual”, complementou.

O aumento no preço dos garrafões de água vai ser repassado aos poucos para os consumidores, já que o reajuste vai depender do estoque que os revendedores têm. George Darlos explicou que os revendedores que adquiriram o estoque até o final do mês passado, antes do reajuste, ainda têm o produto com o preço antigo.

“O pessoal que comprou a água antes do aumento do ICMS ainda está com água do estoque antigo, então não vão repassar para o consumidor agora; somente quando for comprado um novo estoque. Mas, desde esta quinta-feira, quem pegou água nas indústrias, já está adquirindo o produto com esse aumento do ICMS”, finalizou o presidente da Assindae.

Consumidores consideram aumento muito alto

O aumento no preço do garrafão de água começou a ser posto em prática nesta quinta-feira, 2, após ser anunciado desde o ano passado pelo Governo Estadual. Mesmo com o anúncio, alguns consumidores foram pegos de surpresa com o aumento desse produto, que é visto como essencial pelos mossoroenses.

O reajuste do imposto do ICMS, que foi de 110%, faz que, na prática, o garrafão de água fique custando R$ 0,50 a mais para os consumidores. A advogada Larissa Dantas comenta que, para as pessoas que compram um número pequeno de garrafões de água por semana, esse aumento pode não ser sentido de imediato, mas para ela, que compra uma média de 15 garrafões, este aumento é considerável.

“Para mim, que tenho de arcar com os custos dos garrafões de água mineral que disponibilizo para os meus clientes do escritório, esse aumento é bem considerável. Infelizmente, não há muito o que fazer, além de procurar trocar algumas marcas, com a finalidade de economizar. No escritório, usamos uma média de 2 a 3 garrafões de água por dia, ou seja, um uso considerável de água mineral”, disse a advogada.

A dona de casa Maria Antônia de Melo comenta que o aumento de R$ 0,50 por garrafão a pegou de surpresa, já que não foi avisada pelo distribuidor sobre esse aumento. “Pedi água nesta quinta-feira, 2, e já paguei R$ 5,50 pelo garrafão. É um valor muito alto e que vai pesar no nosso bolso”, relatou.

DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente