terça-feira, 25 de junho de 2019

Jornalista acusa trama na Lava-Jato e informa que novas revelações virão


Na sessão da câmara dos deputados desta terça-feira, 25, o jornalista Glenn Greenwald rebateu as declarações de que o conteúdo foi obtido de forma ilegal. Greenwald disse que “não tem importância nenhuma” o método utilizado por uma fonte para obter uma informação. “O jornalismo mais importante nas ultimas décadas foi baseado em informações e documentos muitas vezes roubados”, afirmou.
A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) disse que Glenn cometeu uma “estupidez” ao divulgar as mensagens, porque as reportagens do site incentivarão as manifestações previstas para o próximo dia 30 de junho a favor da Operação Lava Jato.
“Onde estão os áudios que você [Glenn] diz que tem? Se o senhor não provar, é criminoso. Se comprovar a veracidade, é criminoso também, porque invadiu o celular de alguém.“
Em resposta, o jornalista disse que Zambelli iria se arrepender de sua fala se os áudios vierem à tona. E disse que em breve, quando a matéria estiver pronta, ela irá ouvir e lamentar.
Na sequência, a deputada deixou a sessão.
Em outro momento da sessão, Glenn disse Deltan Dallagnol e os demais procuradores foram “tão subservientes que vocês [deputados] vão ter vergonha”, fazendo referência a possíveis novos vazamentos. “Todas as coisas que Sergio Moro queria, aconteceram, porque ele era o chefe desse processo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente