sábado, 3 de agosto de 2019

Acusado de matar irmãs no Alto da Conceição é condenado a 60 anos de prisão


O Tribunal do Júri Popular de Mossoró condenou o réu Robson Francisco Silva dos Santos, 27 anos, a pena de 60 anos de prisão no regime fechado pelos assassinatos de Sheylla Mendonça Bezerra e sua irmã Samyra Mendonça, pela tentativa de homicídio de Sônia Maria Mendonça, mãe das jovens, e pelo crime de aborto. Sheylla estava grávida. O julgamento aconteceu nesta sexta-feira, 2, no Fórum Municipal Silveira Martins. A sessão teve início às 08h30 e se estendeu até por volta das 18h50.

Robson foi condenado por feminicídio triplamente qualificado pela morte de Sheylla e homicídio duplamente qualificado pelo assassinato de Samyra e tentativa de homicídio com Sônia Maria, além do crime de aborto sem o consentimento da vítima.

Adriano Marcolino Alves, 25 anos, também denunciado pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte no envolvimento no crime, foi inocentado e absolvido pelo Conselho de Sentença.

A sessão foi presidida pelo Juiz Vagnos Kelly de Figueiredo de Medeiros, tendo como representado do Ministério Público o Promotor de Justiça Dr. Ítalo Moreira Martins, trabalharam na defesa dos réus. Dr. Otoniel Maia Júnior Dr. Lúcio Ney de Souza e Dra. Jéssica Fernanda Berros.

Crime

Por volta das 22h50 do dia 27 de julho do ano passado, as irmãs Samira Mendonça Bezerra, de 24 anos, e Sheyla Mendonça Bezerra, de 19 – que estava gestante foram assassinadas a tiros dentro de um apartamento no bairro Alto da Conceição, em Mossoró. O crime foi cometido pelo ex-companheiro de Samyra identificado como Robson Francisco Silva dos Santos.

Os socorristas do Samu fizeram uma cesariana dentro do apartamento, e retiraram o bebê ainda com vida. Depois, o recém-nascido foi entubado dentro da ambulância e levado para uma UTI neonatalo do Hospital Maternidade Almeida Castro, onde acabou morrendo duas horas depois.

Robson foi preso seis dias depois do crime no bairro de Belo Horizonte, após a Justiça expedir mandado de prisão preventiva. A prisão foi realizada pelos agentes da Delegacia de Homicídios de Mossoró.

Adriano Marcolino Alves, o homem que teria ajudado Robson, foi preso no final de agosto de 2018 no bairro Nova Mossoró. Em depoimento, Robson disse que Adriano pilotou a moto no dia do crime.

DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente