terça-feira, 18 de setembro de 2018

Exame de DNA sai após um ano e família poderá sepultar corpo no RN


Após esperar mais de um ano por um exame de DNA, a família de Suetânia Santos do Nascimento teve nesta terça-feira, 18, a certeza de que é dela o corpo encontrado carbonizado, em Arez, na Grande Natal, no carro em que a mulher trabalhava como motorista da Uber.  O resultado foi alcançado após confronto de material genético em Fortaleza (CE).

Depois do Portal no Ar noticiar a demora do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) para fazer o exame, os pais de Tânia, como a mulher que teria completado 31 anos no último dia 25 de agosto era conhecida, tiveram material genético coletado através da saliva. O prazo de um mês para o resultado venceria na próxima quinta-feira, 20. 

Tânia saiu de Serra Caiada, no Agreste Potiguar, para Natal e se destacou como vendedora de automóveis em concessionárias da capital. Trabalhou no ramo por cerca de uma década até decidir virar motorista de aplicativo.

No dia 11 de agosto de 2017, a mulher saiu para trabalhar e não voltou mais para casa. O carro dela foi encontrado queimado três dias depois em um canavial com o corpo dela dentro. Até hoje, ninguém foi preso pela morte de Suetânia do Nascimento, mesmo com a família tendo indícios de que o ato foi praticado pelo ex-namorado da motorista.

O sepultamento de Suetânia Santos do Nascimento ocorrerá nesta quinta-feira, 20, em Serra Caiada.