quinta-feira, 30 de junho de 2022

Médico é preso em Natal durante mega operação contra pornografia infantil

Um homem, de 36 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte após encontrarem equipamentos que continham material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. A prisão aconteceu na manhã desta quinta-feira (30), resultado da Operação ‘Luz na Infância 9’, que ocorreu em 13 estados do país e vasculhou endereços de 74 suspeitos de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes na internet. Ainda na operação, há outras 89 ordens de busca e apreensão sendo cumpridas em outros países - Estados Unidos, Equador, Costa Rica, Paraguai, Panamá e Argentina. Ao todo, 163 mandados são executados.


De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que coordena a Operação no País, 22 pessoas foram presas em flagrante até a publicação desta matéria, incluindo um médico de Natal. Segundo a Polícia Civil, o médico morava no Centro da capital potiguar, onde foram encontrados dois notebook e um aparelho celular que serão averiguados. Em Currais Novos, cidade da região Seridó do estado, foram apreendidos três notebooks, três HDs externos, pen drives e aparelhos celulares. Ninguém foi preso no interior. 

No Brasil, as diligências são realizadas em Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Pará, Paraná Rio Grande do Sul e São Paulo, além do Rio Grande do Norte. Cerca de 800 policiais estão envolvidos na operação.

 

O Estado com o maior número de mandados de busca e apreensão em cumprimento é São Paulo, com 43 ordens expedidas. Considerando os demais países envolvidos na operação, nos quais as diligências são realizadas pelos respectivos agentes de aplicação da lei, a Argentina tem o maior número de endereços a serem vasculhados, 68.

 

A Operação Luz na Infância 8 foi aberta em junho de 2021, quando 176 endereços são vasculhados pela Polícia Civil de 18 Estados e em mais cinco países: Argentina, Estados Unidos, Paraguai, Panamá e Equador.

 

Nas sete edições anteriores, realizadas entre 2017 e 2020, operação já havia cumprido mais de 1.450 mandados de busca e apreensão e prendeu cerca de 700 suspeitos de praticarem crimes cibernéticos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes em todo o Brasil e nos países participantes da ação.


Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente