quarta-feira, 24 de junho de 2020

'Quem dá o tom é a ciência', diz governadora Fátima Bezerra sobre retomada das atividades econômicas no RN

A governadora Fátima Bezerra participou da coletiva da Sesap nesta quarta-feira (24) — Foto: Reprodução/InterTV Cabugi
A governadora Fátima Bezerra (PT) afirmou que a retomada do setor econômico pode ser remarcada novamente, caso a pandemia da Covid-19 continue avançando no Rio Grande do Norte. “Vai depender da pandemia, nós dialogamos com todos os setores da sociedade, mas quem me dá o tom é a ciência”, declarou.

Fátima Bezerra participou nesta quarta-feira (24) pela primeira vez durante a pandemia de uma coletiva da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). As entrevistas têm ocorrido diariamente para tratar dos números do novo coronavírus no estado potiguar e das ações que vêm sendo desempenhadas para conter a doença.

A retomada das atividades de comércio e serviços estava marcada para esta quarta, contudo foi anunciado nesta terça-feira (23) que a nova data prevista para a reabertura é o dia 1º de julho. A justificativa é a ocupação de leitos de UTI, que segue alta no Rio Grande do Norte. A retomada das atividades foi marcada, na primeira vez, para o dia 17 de junho, porém não pôde acontecer porque a taxa de ocupação de leitos de UTI estava em 99%.

Sob as projeções realizadas pelo comitê estadual científico de enfrentamento à Covid-19, o governo do Rio Grande do Norte acredita que conseguirá cumprir o novo prazo. Isso porque o comitê, que foi quem orientou o adiamento, identificou uma redução na taxa de transmissibilidade do vírus e, se esse cenário se mantiver nos próximos dias, pode haver uma diminuição na pressão sobre os leitos.

A retomada econômica está condicionada ao cumprimento de protocolos específicos de segurança sanitária. Dentre eles, a ocupação dos leitos de UTI, que deve estar abaixo de 70%.

O estado do Rio Grande do Norte chegou nesta terça (23) a 20.075 casos confirmados de Covid-19, ainda de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, que registrou também 750 mortes pela doença. Outros 100 óbitos estão sob investigação, para saber se foram provocados pelo novo coronavírus.

Recomendação do MP
Os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho recomendaram nesta segunda-feira (22) que o governo e as prefeituras do Rio Grande do Norte não iniciem ainda a retomada econômica. A recomendação conjunta citava justamente a ocupação dos leitos como justificativa para o pedido.

Na orientação, o Ministério Público reforçou que o Governo do Estado deve garantir que a retomada das atividades não essenciais ocorra apenas quando forem verificadas as condicionantes epidemiológicas e de percentual de taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI Covid.

Entidades comerciais querem retomada
Por outro lado, associações, federações, sindicatos e entidades ligadas a setores do comércio, transporte, hotelaria, bares e restaurantes do Rio Grande do Norte publicaram uma nota conjunta favorável a reabertura gradual do comércio nesta quarta-feira (24).

No documento divulgado pelas entidades nesta terça-feira (23), os empresários elencam as dificuldades enfrentadas por causa da crise gerada pela pandemia de Covid-19. Segundo a nota, a queda no faturamento do estado é de quase R$ 200 milhões e a expectativa é de fechamento de cerca de 12 mil empresas, com estimativa de perda de 225 mil empregos.

G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente