quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Crime eleitoral e teatro! – Vereadora Nataly se desespera e ataca polícia e MP

Depois de pagar fiança e ser solta após passar 24 horas presa em flagrante por operação do Ministério Público que investiga desvio de combustíveis em Angicos, a vereadora Nataly Felipe disse, durante live nesta quarta-feira, 02, que foi vítima de uma “canalhice política”. Com todas as letras e fins necessários.

Acontece que essa operação é do MPRN, e contou com mais 6 promotores, 12 servidores do ministério público e 32 policiais militares. Tudo dentro do mais alto rigor da lei e da ordem, com mandados de busca e apreensão em vários pontos.

A prefeitura do município e o prefeito está sob investigação, mas o tempo todo, tanto a vereadora quanto o prefeito Deusdete, tentaram tirar o foco da investigação, jogar a culpa na polícia e no ministério público. Só esqueceram um detalhe: a maior apreensão de provas foi na sede da prefeitura.
 
Todos os angicanos viram ou ficaram cientes que a vereadora já chegou de Mossoró descumprindo a lei, em carreata pelas ruas da cidade, com centenas de pessoas, e depois, comício extemporâneo em praça pública. Dois erros: aglomeração de populares, quando a lei ainda proíbe, e discursos políticos, quando a lei eleitoral veta essa situação.

Depois foi pra live, onde a vereadora chorou muito ao vivo, disse que foi presa e humilhada, que dormiu na cadeia e que sofreu muito de ontem pra hoje. Disse que a prisão dela foi orquestrada. Culpou muita gente, e insinuou muita coisa.

Chamou os adversários políticos de turma do mau, grupo do mau e do ódio. Acusou os ex-prefeitos de conspirar contra ela. Pelo visto, todo mundo é culpado. Menos o prefeito e a vereadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente