sexta-feira, 5 de junho de 2020

Comércio varejista do Rio Grande do Norte deixou de faturar R$ 160 milhões por causa da pandemia

O presidente da Fecomércio Rio Grande do Norte, Marcelo Queiroz, afirmou que, por causa do decreto do Governo do Estado, que permite a abertura somente dos estabelecimentos considerados essenciais, hoje 46 mil empresas do comércio varejista deixaram de faturar perto de R$ 160 milhões. Dos 51 mil empregos com carteira assinada que geravam, 6 mil deixaram de existir. Isso equivale a mais de 65% do total de demissões no Estado ao longo da pandemia.

Segundo o dirigente, outros 83 mil empregos foram impactados pela MP nº 936/2020 (que permite a redução de salários e a suspensão de contratos de trabalho durante a pandemia). Isto equivale a 16% do total de empregos formais (586 mil profissionais) gerados pelo setor privado no Rio Grande do Norte.

​”Mas nós precisamos estar preparados para a retomada das atividades, assim que for possível. Precisamos nos sentir e ser produtivos. Na reabertura das lojas, vamos seguir com rigor as orientações das autoridades para garantir a saúde e o bem-estar de funcionários e clientes”, declarou o presidente Marcelo Queiroz em live, no dia 3 de junho, no Instagram da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Queiroz disse que a Fecomércio sempre se manteve à frente de iniciativas em defesa do setor. “Desde o primeiro momento, criamos um canal permanente de diálogo, sempre produtivo, com o Governo do Estado e prefeituras. Nessas conversas, apresentamos uma série de pleitos, cujo atendimento imediato foi muito importante.”

​Ele citou como exemplo a postergação de pagamento de alguns impostos e obrigações fiscais. Conquistou-se ainda prioridade para as empresas locais nas aquisições de produtos e serviços pelos poderes públicos e a extensão do prazo de validade de certidões e licenças.

​No trabalho de orientação aos empresários, a entidade criou uma Central de Atendimento Virtual para apoio jurídico. O serviço é oferecido por e-mail, WhatsApp e telefone fixo. Mais de 250 empresas foram atendidas. Além disso, a Comissão Intersindical da Federação disponibilizou uma Central de Negociação/Mediação Virtual para orientar e efetivar a adesão das empresas à MP nº 936/2020.

​Sesc
Marcelo Queiroz citou as muitas ações do Sesc, durante a pandemia, que têm trazido conforto e segurança à população. É o caso da Unidade Móvel Sesc Saúde Mulher, pioneira no Brasil, que foi deslocada para o pátio da Maternidade Escola Januário Cicco. Ali, num trabalho importante de prevenção, a equipe do Sesc e profissionais da maternidade, que pertence à Universidade Federal do Rio Grande do Norte, fazem a triagem das grávidas que chegam ao hospital para checar se têm algum sintoma de covid-19. Evita-se assim que, em caso positivo, acessem o local. Cerca de 700 mulheres já foram atendidas.

​O programa Mesa Brasil distribuiu 420 mil quilos de alimentos a 65 instituições, beneficiando 92 mil pessoas carentes. Comunidades atendidas pela instituição e a classe artística receberam também 778 cestas básicas (mais de 4 mil quilos de alimentos), arrecadados por meio de uma Live Solidária, que em 10 dias já tinha mais de 34 mil visualizações.

​A Campanha Mesa Brasil Solidário, em parceria com uma emissora de TV, arrecadou mais de 1 tonelada de alimentos. As doações estão sendo distribuídas às instituições carentes cadastradas no programa. Já os alunos das Escolas Sesc no Estado receberam cerca de 3 mil quilos de alimentos.

​Também presidente do Conselho Regional do Sesc, Queiroz revelou que mais de 13 mil refeições (quentinhas), a preço subsidiado, foram servidas, com serviço de delivery ou take away (o consumidor retira no local), pelo restaurante do Sesc Rio Branco, em Natal. Ao mesmo tempo, 300 refeições são distribuídas diariamente a entidades e comunidades carentes. Até o fim de maio, foram quase 9 mil refeições, equivalente a mais de duas toneladas e meia de comida.

​Para manter os estudantes em atividade, foram feitas adaptações nas Escolas Sesc. Os alunos passaram a ter acesso às atividades pedagógicas em sala de aula virtual, por meio do Google Classroom e outras ferramentas que proporcionam maior interação.

​O dirigente destacou ainda que o Sesc Ler São Paulo do Potengi, em parceria com costureiras, loja de tecidos e o Sindicato do município, produziram e doaram 610 máscaras.

​Senac
Marcelo Queiroz falou com orgulho da parceria que o Sistema Fecomércio-RN firmou com o Governo do Estado para que profissionais de saúde que comprovem conviver com pessoas dos grupos de risco ou que tenham alguém com covid-19 em suas residências fiquem hospedados no Hotel-Escola Senac Barreira Roxa. São 106 leitos oferecidos, com um investimento mensal da entidade da ordem de R$ 350 mil, com outros R$ 159 mil/mês custeados pelo Governo.

​O Senac está promovendo cursos on-line gratuitos para preparar funcionários de estabelecimentos para a adoção de todos os protocolos e medidas propostos no Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica no Estado, no pós-pandemia. São cursos de curta duração, num total de 1.350 vagas, em 27 turmas, com foco em segmentos como creches, escolas, escritórios, lojas, estabelecimentos de beleza e estética, shoppings, meios de hospedagem e serviços de receptivo.

​​Ainda nessa linha, foi lançado o Programa de Assistência Digital Empresarial, serviço gratuito de capacitação e ajuda para as pequenas e médias empresas, com foco em ensinar como vender seus produtos/serviços de forma on-line durante este período de isolamento social e suspensão do funcionamento das empresas de forma presencial. Dentro do programa, o Senac promove lives no seu canal do Youtube, com o intuito de incentivar o conhecimento e o acesso a conteúdo voltado para as plataformas digitais. O programa tem participação aberta a todos os interessados, incluindo pessoas de outros estados.

Adicionalmente às iniciativas de suporte aos empresários, foi lançada uma nova fase do Programa Senac de Gratuidade Empresa, o PSG Empresa. Há cerca de 500 vagas em 10 cidades, com cursos on-line de capacitação e qualificação dos empreendedores.

Turismo
Fecomércio, por meio do Senac, em parceria com a Secretaria Estadual de Turismo e outras entidades, também elaborou o Plano de Retomada do Setor Turístico Potiguar. O documento lista uma série de ações e propostas que busca posicionar o Rio Grande do Norte como um destino no qual o turista se sinta seguro no pós-Pandemia.

​O presidente da Federação revelou que está sendo feito um trabalho intenso nas empresas para prepará-las para a retomada das atividades. Na opinião de Marcelo Queiroz, no período pós-pandemia, o mundo não será mais o mesmo. Para ele, o momento é de aprendizado, de absorver informações para um novo mundo dos negócios.

​“Temos que estar cada vez mais atentos às novas tecnologias e preparados para utilizar ferramentas de venda on-line. Muitos consumidores que recorreram ao e-commerce durante a pandemia vão permanecer com essa forma de compras”, alertou.

Fecomércio RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente