terça-feira, 16 de junho de 2020

Crônicas da árvore -02 -conhecendo a verdade

Meninos brincavam na grande praça pública que ficava no centro da cidade. era uma alegria sem fim, pois brinquedos de todos os tipos se encontravam ali. Escorregadores/tobogãs, balanços, minicampos e todos os tipos de diversão existia naquele lugar.

Ao fundo alto falantes e grandes telas traziam imagens harmoniosas, acompanhadas da presença do casal, do “Pai e da Mãe”. Os dois governavam aquele município e tudo emanava deles. As vozes propagavam a seguinte mensagem às crianças e jovens ali presentes:
                - ‘Vocês têm tudo com que sempre sonharam, tudo que fazemos é por vocês, divirtam-se, nada falta nem faltará.” Diziam repetidamente os dois.

E ali os meninos, jovens, garotos e garotas ficavam correndo e brincando, por horas, como numa utopia.
Mas um dos garotos que ali brincavam, ao rolar pela grama fresquinha, teve um pequeno choque. Ao abrir e fechar os olhos notou algo totalmente diferente a sua volta. A perfeição que o casal e as vozes pregavam, não mais existia. As ruas estavam sujas, os brinquedos da praça haviam sumido, não existiam, e tudo era como um sonho distante. Ele piscou várias vezes. A cena ia e vinha, como se fosse dois mundos diferentes. Como se fantasia e realidade se alternassem.
E foi nesse exato momento que ele viu a grande árvore no centro, a poucos metros dali. ela brilhava sutilmente um brilho esverdeado, pulsante, calmo e ao mesmo tempo, diferente. O curioso é que ele não havia notado que a árvore estava ali antes.
Uma menina vestida com um belo vestido rosa passou ao seu lado e ele pegou no braço dela e perguntou:
                - “EI, você está vendo o mundo diferente? – respirou fundo e então apontou para a árvore – e está vendo aquela árvore enorme ali?”
A garota estranhou e respondeu:
                - “Não vejo nada diferente, está tudo perfeito, e também não estou vendo nenhuma árvore por aqui – ela respondeu com um sorriso – você tá bem? Bateu com a cabeça foi?.”
O garoto pensou estar ficando louco, pois as imagens de antes continuavam na sua cabeça. A árvore parecia atrai-lo, mais e mais. Ele disse a ela:
                -“Venha comigo, vou lhe mostrar.“
E arrastou gentilmente a menina pelo braço, até chegar ao tronco da árvore. Ali, sentiu uma grande atração e resolveu tocar o tronco, e ao fazer isso, uma espécie de descarga elétrica aconteceu por toda a cidade. A menina gritou:
                - “Meu Deus, onde estamos, está tudo diferente, mudado, não tem nada do que tinha antes. Eu quero os brinquedos de volta.” A garota começou a chorar, pois não acreditava no que estava vendo.
A praça não estava cuidada, as plantas e arbustos, maltratados, e nada era como parecia antes.
O garoto então entendeu que estavam sendo  iludidos há muito tempo e que precisava avisar as outras pessoas sobre aquela enganação que o “Pai e a Mãe” estavam fazendo com todo mundo daquela cidade.
Essa história continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente