segunda-feira, 9 de março de 2020

PREFEITO DE ANGICOS E VEREADORA PODEM SER CASSADOS por suposta compra de votos e abusos

O prefeito de Angicos Deusdete Gomes e a vereadora Nataly Felipe, atual secretária de saúde local, estão sendo investigados por suposta compra de votos envolvendo eleições passadas e especificamente a eleição de 2016.

De acordo com sites como o BLOG DO BG e o MOSSORÓ HOJE, os dois foram acusados pelo ministério público da comarca da atividade de ilícita de compra de votos envolvendo ex-vigilantes da empresa GARRA Vigilância.

O TEXTO diz o seguinte: “O Ministério Público Eleitoral, por meio da Promotoria da 18ª Zona Eleitoral, denunciou à Justiça o atual prefeito de Angicos, Deusdete Gomes de Barros, e a vereadora Nataly da Cunha Felipe de Souza. Os dois são acusados da prática de crimes eleitorais.

De 2009 a 2016, os denunciados ofereceram e prometeram empregos a eleitores de Angicos na empresa Garra Vigilância Ltda., em troca de votos em favor do prefeito e dos candidatos por ele indicados nas eleições gerais de 2010 e 2014 e nas eleições municipais de 2012 e 2016. Na denúncia, o MP Eleitoral destaca que o próprio Deusdete Gomes de Barros gerencia a empresa.

Na denúncia, o MP Eleitoral indica que o crime – oferecimento e promessa de emprego – foi realizado em relação a oito pessoas, ao longo desses anos. Pelo menos um dos que foram contratados chegou a ser demitido quando um familiar deu negativa de voto a favor de Deusdete Gomes de Barros.”
Além desse processo, o prefeito e a secretária são alvos de outro processo, que trata de exploração midiática, e foi matéria do G1, parte do texto diz: “Segundo o MP Eleitoral, Ezequiel, Deusdete e Nataly fizeram uso promocional da destinação de uma ambulância ao referido município para beneficiar as candidaturas do próprio Ezequiel Ferreira e de Rogério Marinho a deputados estadual e federal, respectivamente, nas eleições de 2018.

Ainda segundo o MP, a Assembleia Legislativa, com sobras do seu orçamento de 2016, adquiriu 85 ambulâncias e as doou ao Executivo estadual.”

Os processos já estão com mais de um ano que foram formalizados pela promotoria, e com relação ao primeiro, já está em cima da mesa do Juiz da Comarca de Angicos, Rafael Barros Tomaz do Nascimento, e aguarda apenas o veredicto em primeira instância, que pode afastar os dois dos cargos eletivos e ao mesmo tempo, torná-los inelegíveis nas eleições desse ano de 2020.

Por ser o último ano de mandato do prefeito e vereadora, a possibilidade de a sentença ser dada nos próximos meses é alta, e provavelmente até o meio do ano, teremos o resultado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente