quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Centrão aposta que Bolsonaro será abandonado por aliados

Lideranças de partidos do Centrão ouvidas pelo blog já trabalham com o cenário de "cristianização" da candidatura do presidente Jair Bolsonaro à reeleição, diante da rejeição recorde do governo. Conforme pesquisa Ipec divulgada nesta terça-feira (14), a reprovação está em 55% (a aprovação é de 19%).

No jargão eleitoral, o termo "cristianização" é usado quando um candidato é abandonado pelos próprios aliados.

 

Trata-se de uma referência aos anos 1950, quando o então candidato à Presidência Cristiano Machado foi traído pelos companheiros de PSD, que optaram por apoiar Getúlio Vargas, do PTB.

Entre parlamentares do Centrão, há um senso de pragmatismo. A avaliação é: a rejeição de 55% é proibitiva para quem disputa a reeleição e pode prejudicar a campanha de deputados, senadores e governadores.

 

Especialmente na região Nordeste, onde o ex-presidente Lula aparece com 63% das intenções de voto.

 

A percepção é que, mesmo com o lançamento do programa Auxílio Brasil, com o pagamento de R$ 400 para as famílias mais pobres, não haverá espaço para reversão na popularidade de Bolsonaro.

 

"Nesse momento, Bolsonaro ficou muito pesado para ser carregado pelas bases. Nesse cenário, é melhor se afastar para não ser contaminado pela rejeição", explicou uma influente liderança do Centrão.


G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente