segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Feriado teve duas mortes e 26 acidentes nas rodovias federais que cortam o RN


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta segunda-feira, 18, o balanço da Operação Proclamação da República, iniciada na última quinta-feira, 14, e encerrada às 23h59 deste domingo, 17. Segundo o órgão, houve 26 acidentes registrados nas BR´s do Rio Grande do Norte, dos quais seis graves, que resultaram em 26 pessoas feridas e duas pessoas mortas.

De acordo com a PRF, o número de acidentes foi praticamente o mesmo do ano passado, porém o número dos acidentes graves teve uma redução de 33%. O número de feridos teve uma redução de 8,7%, mas foi registrada uma morte a mais se comparado com o ano anterior. Em 2018 foram 25 acidentes, sendo nove graves, com 29 pessoas feridas e uma morte.

FISCALIZAÇÃO

No decorrer da operação, 4.895 pessoas e 4.377 veículos foram fiscalizados, sendo 1.453 notificados por infrações diversas. Muitos condutores foram flagrados na fiscalização de alcoolemia. Durante os quatro dias, 1.816 condutores realizaram o teste do etilômetro, 46 foram autuados e seis foram presos. Mesmo com ampla divulgação dos riscos de dirigir sob efeito de álcool e do rigor das penalidades, a prudência e os cuidados esperados são esquecidos. Em média, a PRF realizou 454 testes de bafômetro por dia.

Outra imprudência que resulta em lesões graves e mortes nas rodovias são as ultrapassagens proibidas. 94 motoristas foram autuados por esta infração. A falta do uso de cinto de segurança também foi verificada. Foram 21 motoristas e 59 passageiros flagrados, sendo que a multa é sempre de responsabilidade do motorista. Outros 72 condutores de motocicletas foram multados por não usarem o capacete.

No tocante a criminalidade, 25 pessoas foram detidas pela prática de crimes diversos: seis por embriaguez ao volante, cinco por outros crimes de trânsito; três por porte ilegal de arma de fogo, três por porte de droga para consumo; duas por tráfico de drogas, duas por roubo de veículo, um fugitivo do sistema prisional etc.


DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente