quarta-feira, 11 de agosto de 2021

“Senhor das Armas”: Empresário do RN é indiciado por vender metralhadoras para facção

Policiais Civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) deflagraram, nesta terça-feira 10, a 4ª fase da operação “Senhor das Armas”. Na ação, foi cumprido um mandado de prisão em desfavor de Roberto Costa Pereira, conhecido como “Robinho do Morro”, pelos crimes de praticar comércio ilegal de arma de fogo, associação criminosa e receptação. Ele já se encontrava no sistema penitenciário.

Durante a operação, também foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão em desfavor de um empresário, indiciado pelos mesmos crimes. Investigações concluíram que o fuzil AR10, calibre 7,62, apreendido em 12 de maio, em poder de Makson Felipe de Menezes Pereira, conhecido como “Playboy das Armas”, e Esterivar Ferreira de Lima, conhecido como “Senhor das Armas”, pertencia a “Robinho do Morro” e estava guardado na residência do empresário.

Na mesma ocasião, além do fuzil, foram apreendidas mais quatro armas de fogo, sendo uma carabina .40, uma metralhadora 9mm, além de duas pistolas 9mm e 183 munições.

 

Das cinco armas apreendidas, quatro delas estavam em poder do empresário, que foi indiciado e denunciado pelo Ministério Público, razão pela qual está figurando como réu em ação penal. De acordo com investigações, ele adquiria armas de grosso calibre, metralhadoras e armas curtas, além de munições, e as vendia inclusive para integrantes de facção criminosa.

 

Sobre a operação

 

A operação “Senhor das Armas”, iniciada em abril de 2021, tem como objetivo desarticular organização criminosa especializada em comércio ilegal de armas de fogo de grosso calibre no Rio Grande do Norte. A DEICOR continuará as investigações para identificar e prender outros envolvidos nesses crimes. 

 

A Polícia Civil pede para que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181, ou dos números da DEICOR: (84) 3232-2862 ou (84) 98135-6796 (WhatsApp)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente