quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Rio Grande do Norte tem três casos suspeitos de coronavírus sendo investigados


Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, 26, a Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap/RN) apura três casos suspeitos de Infecção Humana pelo Covid-2019 (Novo Coronavírus). Segundo o G1/RN, as pacientes são uma menina de 10 anos, que estava em um cruzeiro que ia pra Xangai e foi desviado pra Hong Kong, e duas mulheres, uma de 28 e outra de 35 anos, que viajaram para o norte da Itália. Não há grau de parentesco entre as três.

Mais cedo, portal Agora RN, o jornal Tribuna do Norte e o Blog do BG noticiaram na tarde desta quarta-feira, 26, que o Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, investiga um caso suspeito de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Segundo as publicações, a informação pelo diretor do hospital, o médico infectologista André Prudente.

Segundo informações preliminares, a paciente é uma mulher idosa que foi internada na tarde desta quarta-feira, 26. Ela relatou ter vindo da Itália e apresenta sintomas gripais. O país europeu tem registrado um surto da doença, com 374 casos confirmados e 12 mortes.

A Tribuna e o Agora RN disseram que a idosa já se submeteu a exames laboratoriais. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), os resultados preliminares devem ser divulgados em até 24 horas. Por enquanto, o caso é tratado como suspeito.

Nesta quarta-feira, o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso da doença no País. Trata-se de um paciente de 61 anos que viajou à Itália entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Além dele, há outros 20 casos em investigação e 59 suspeitas já foram descartadas.

A pasta lembra que para ser considerado caso suspeito é necessário atender aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para notificação.

Brasil confirma primeiro caso da doença

O Ministério da Saúde confirmou, nesta quarta-feira, 26, o primeiro caso de novo coronavírus em São Paulo. O homem de 61 anos deu entrada no Hospital Israelita Albert Einstein, nesta terça-feira, 25, com histórico de viagem para Itália, região da Lombardia. O Ministério da Saúde, em conjunto com as secretarias estadual e municipal de São Paulo, investigava o caso desde então. A SES/SP e SMS/SP estão realizando a identificação dos contatos no domicílio, hospital e voo, com apoio da Anvisa junto à companhia aérea.

Ao confirmar o primeiro caso no país, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçou que já era esperada a circulação do vírus, mas que, diferente dos demais países com transmissão, o Brasil ainda não está no inverno – período em que há maior risco de contágio. “É mais um tipo de gripe que a humanidade vai ter que atravessar. Das gripes históricas com letalidade maior, o coronavírus se comporta à menor e tem transmissibilidade similar a determinada gripes que a humanidade já superou”, explicou.

“Nosso sistema já passou por epidemias respiratórias graves. Iremos atravessar mais esta, analisando com os pesquisadores e epidemiologistas brasileiros, qual é o comportamento desse vírus em um país tropical”, ressaltou.

O ministro garantiu, ainda, que “a população brasileira terá todas as informações necessárias para que cada um tome suas precauções, que são cuidados com a higiene e etiqueta respiratória, como lavar as mãos e o rosto com água e sabão. Este é um hábito importante e higiênico para evitar não só doenças respiratórias como outras doenças de circuito oral”.

Para Mandetta, o Brasil está preparado para testar os casos e para garantir que casos confirmados sejam monitorados e tratados. “Agora vamos acompanhar o comportamento do vírus no hemisfério sul, qual o grau de transmissibilidade e letalidade. Gostaria de parabenizar o sistema de vigilância, os laboratórios, o Instituto Adolfo Lutz, pela agilidade para realizar os exames e a contraprova. Vamos sair mais forte do que entramos e com mais capacidade de reagir a essas situações”, garantiu.

De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo dos Reis, a licitação para aquisição de Equipamentos de Proteção Individual foi feita e a previsão é que as empresas comecem a entregar os insumos dentro de 7 dias. “Todos os estados e municípios já têm esses equipamentos para os atendimentos necessários, de rotina, agora eles terão uma demanda maior, por isso o Ministério da Saúde enviará um reforço com esses equipamentos”, explicou.

Todas as ações e medidas seguidas estão de acordo com os protocolos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) e, diariamente, atualizações são informadas em coletivas e boletins epidemiológicos. Para mais informações, acesse www.saude.gov.br/coronavirus.

ATUALIZAÇÃO DE CASOS SUSPEITOS

Até esta quarta-feira (26), 20 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus são monitorados pelo Ministério da Saúde em sete estados do país (PB, PE, ES, MG, RJ, SP e SC)). Nesta quarta-feira (26), o Brasil registrou o primeiro caso de coronavírus, em São Paulo. Ao todo, outros 59 casos suspeitos já haviam sido descartados após exames laboratoriais apresentarem resultados negativos para o coronavírus.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, explicou que dos 20 casos suspeitos, 12 foram para a Itália, 2 para a Alemanha e 2 para a Tailândia. “Esse padrão já reflete a velocidade que o Sistema de Saúde, incluindo unidades públicas e privadas, tiveram para se adaptar às novas definições de casos suspeitos nesses dois dias, durante o Carnaval. Nosso sistema de saúde está em alerta total”, afirmou Wanderson. “Estamos na fase de contenção, onde buscamos evitar que o vírus se espalhe. Caso se espalhe, vamos para a fase de mitigação, que é evitar casos graves e óbitos", explicou o secretário.

Para manter a população informada a respeito do coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza, diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação à situação epidemiológica.

Confira íntegra da Nota:

NOTA SESAP

NATAL (RN), 26 de fevereiro de 2020.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública informa que no momento está apurando os fatos para que possa inferir se há ou não casos suspeitos de Infecção Humana pelo Covid-2019 (Novo Coronavírus), uma vez que para ser considerado caso suspeito esse deverá atender aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para notificação.

No momento, o Estado do Rio Grande do Norte possui três investigações em curso, iniciadas na tarde desta quarta-feira (26), quando as informações sobre esses casos foram repassadas à Sesap.

DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente