quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Resgate dos Brasileiros em Wuhan pode custar até R$ 10 milhões e Governo estuda de onde sairá o dinheiro para custear a operação


Ministérios envolvidos na operação de resgate dos brasileiros em Wuhan, na China, epicentro do coronavírus, estão preocupados em saber de onde sairá o dinheiro para custear a operação. Segundo estimativas, o gasto, que inclui desde o combustível à quarentena em Anápolis, deve ficar, no máximo, em torno de R$ 10 milhões e pode ser pago via pedido de crédito suplementar (precisa ser aprovado pelo Congresso, mas os ajustes e contas ainda estão sendo fechados pela Economia). A ordem de Jair Bolsonaro foi para dar prioridade ao caso.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, deve visitar a Base Aérea de Anápolis, que receberá os brasileiros a partir do próximo sábado.

A tripulação que participará do resgate também deve passar por uma quarentena, mas em casa. O Ministério da Saúde planeja mandar equipe com enfermeiro e médico especialistas em emergências para monitorar cada caso.

Apesar das especulações sobre uma possível proibição de empresas brasileiras exportarem máscaras para a China, o governo não pretende adotar tal medida. Abriu licitação para criar o seu próprio estoque.

COLUNA DO ESTADÃO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente