quarta-feira, 4 de maio de 2022

PSB quer Rafael Motta ao Senado na chapa da governadora Fátima

Em Mossoró, onde cumpriu agenda nesta segunda e terça-feira, a governadora Fátima Bezerra (PT) reafirmou a aliança com MDB e PDT para as eleições deste ano, reforçando o cenário de que terá no seu palanque o deputado federal Walter Alves, para vice-governador, e o ex-prefeito Carlos Eduardo, para senador da República.

 

Essa, porém, não é a mesma convicção do PSB, um dos partidos aliados do governo estadual e incluído na lista de apoiadores à reeleição da governadora. O PSB decidiu colocar dúvidas sobre a escolha de Carlos Eduardo para ser o candidato a senador do palanque governista. O partido autorizou oficialmente aos institutos de pesquisa inserir o nome do deputado federal Rafael Motta nas sondagens estimuladas de intenções de votos para o Senado.

Segundo reportagem do jornal Tribuna do Norte, de Natal, pelo menos três institutos já foram comunicados sobre o pedido de Rafael Motta, que é o presidente estadual do PSB e acabou de ser reconduzido à secretaria geral nacional do partido. Os ofícios começaram a ser expedido na segunda-feira, 2, com assinaturas do secretário de Mobilização e Articulação Política do PSB, Manassés Torres Duarte.

 

Essa não é a primeira manifestação do PSB em defesa de uma possível candidatura de Rafael ao senado. O parlamentar havia dito que deseja ser senador da República durante o Congresso Estadual do partido em março desde ano. Rafael chegou a colocar condições em relação ao nome de Carlos Eduardo para o senado. “Isso quem realmente vai dizer é a população, na hora da eleição, eu não tenho uma opinião formada sobre isso, o que me consta é que houve um apoio dele lá atrás em relação ao bolsonarismo, mas a escolha da formação dessa chapa e quem está no centro da discussão política é a eleição do Governo do Estado, teoricamente quem faz essa composição de majoritária é a própria governadora”, disse à época.

 

Dentro do PSB há um sentimento de que o partido merece vaga na chapa majoritária da governadora e sobra desconfiança em relação a Carlos Eduardo. Em entrevista ao Cafezinho com César Santos, publicada na edição do Jornal de Fato de domingo, 1º, o ex-deputado federal Henrique Alves, recém-filiado ao PSB, disse que a presença de dois Alves na chapa da governadora era criticada por membros do próprio PT.

 

“Cada vez mais, a verdade faz bem às pessoas. Isso leva a um resultado melhor, então, a chapa deve ser explicada ao eleitor. Eu vejo críticas de correligionários do próprio PT em relação a isso, mas se tiver um bom projeto a apresentar à população, a chapa pode partir para o convencimento, que é necessário”, disse Henrique.

 

Silêncio

 

A chapa Fátima/Walter Alves, definida em Brasília pelo ex-presidente Lula, ganhou o noticiário nos últimos dias, mas existe um silêncio, dentro do próprio governo, em relação a Carlos Eduardo. Isso, porém, não significa que o ex-prefeito será preterido na hora da definição.


DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente