quarta-feira, 11 de maio de 2022

Garibaldi não perdoa Henrique Alves e afirma que pode tirar votos dele

“Eu vou tentar convencê-lo a votar em mim. Por que não? Ele não tirou o voto do meu filho? Ele não foi votar em Benes Leocádio, em vez de votar em Walter Alves? Na verdade, Walter e eu não o perdoamos, achamos que ele não deveria ter feito isso”, declarou o ex-senador e pré-candidato a deputado federal, Garibaldi Alves Filho (MDB), afirmando que, se for preciso, durante a campanha eleitoral, convencerá o eleitor potiguar a não votar no pré-candidato a deputado federal Henrique Eduardo Alves (PSB). Garibaldi e Henrique romperam, após 50 anos juntos, os laços políticos e familiares e serão adversários políticos na corrida pelas urnas.

 

Mostrando-se aborrecido, Garibaldi Alves Filho explicou que havia um conflito entre ele, Henrique Eduardo Alves e Walter Alves (MDB), tendo em vista que no pleito eleitoral de 2018, o ex-ministro chegou a declarar publicamente que havia votado no candidato a deputado federal Benes Leocádio (União Brasil), em vez de apoiar o primo Walter. Os dois acabaram eleitos, porém Walter teve mais dificuldades. À época, Henrique Eduardo Alves estava impedido de ser candidato, pois era suspeito em ações da Operação Lava Jato.

Inconformado, Garibaldi Alves disse que, “não posso deixar de dizer que isso me chocou, porque foram cinquenta anos de convivência política. Teve um impacto, agora eu lamento, pois na política a gente tem que olhar para frente”, desabafou o ex-senador, enfatizando que o clima entre eles inviabilizou a permanência de Henrique Eduardo Alves no MDB, motivando a saída do ex-ministro para o PSB.

 

Garibaldi Alves Filho fez questão de manifestar as diferenças entre ele e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves, e detalhou um pouco sobre o discurso que irá levar para os eleitores do Rio Grande do Norte.

 

“Eu tenho mais serviços prestados, mais obras para apontar em cada município do que o deputado Henrique, porque ele nunca foi Executivo. Foi 11 vezes deputado federal”, ressaltou em entrevista à Rádio 98 FM Natal.

 

Rompimento

 

No início deste ano, o ex-senador e ex-governador RN, Garibaldi Alves Filho, declarou que não caminha mais politicamente com o seu primo, o ex-ministro, Henrique Eduardo Alves, mesmo os dois estando, à época, no mesmo partido, o MDB. Garibaldi havia informado que o afastamento já vinha acontecendo nos últimos anos e não tinha qualquer razão para manter a relação entre os dois politicamente.

 

“Isso já vinha acontecendo e hoje tomou uma dimensão maior. O ex-deputado Henrique, na última campanha não votou em Walter. Ele preferiu votar e apoiar o Benes Leocádio. Então, entendo que não há mais razão para a gente continuar convivendo politicamente”, declarou o ex-senador.

 

Em 2018, o ex-prefeito de Lajes e ex-presidente da Federação dos Município do Estado (Femurn), Benes Leocádio, que estava no PTC (Partido Trabalhista Cristão), foi o candidato mais votado no Rio Grande do Norte, para a Câmara Federal. Walter foi o 7º mais votado naquele pleito.

 

A iniciativa de Garibaldi Alves Filho, mais de três anos depois, também está relacionada à eleição que se aproxima. “Tem a ver com a próxima eleição, porque uma eleição não se mostra isolada, ela repercute na próxima. Isso tem uma continuidade, então, o que posso dizer é que não houve condições para continuar. É uma história de décadas, não é fácil um rompimento, mas quando se faz necessário, a gente precisa tomar a decisão que nos parece mais adequada”, pontuou.


AgoraRN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente