Postagem em destaque

Eleição da Câmara em Angicos; está chegando a hora!

A eleição da câmara de vereadores de Angicos se aproxima rapidamente. De acordo com declaração ao blog do Presidente Neto Maciel, o " P...

quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Rio Grande do Norte registra maior ocupação de leitos críticos desde julho

Após 102 dias, o Rio Grande do Norte voltou a registrar taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento da Covid-19 próximo dos 50%. O índice não era registrado desde a segunda quinzena de julho. A informação consta no portal Regula RN, plataforma que acompanha em tempo real a situação dos leitos regulados e privados contratualizados para atender a demanda do novo coronavírus.

De acordo com o sistema, a taxa de ocupação chegou a quase metade dos leitos críticos instalados no início da tarde desta segunda-feira, 1º, atingindo 49,2%. Até o fechamento desta edição, o índice caiu para 48%. Em 23 de julho, o estado teve taxa de ocupação de 48,54%.

“Estamos em um cenário novo do ponto de vista da dinâmica da pandemia. É novo porque temos uma taxa de vacinação que se amplia a cada dia, e que tem proporcionado a proteção da vida. A maior parte dos óbitos vem acontecendo entre os não vacinados. Também observamos a presença da variante Delta, que tem produzido em alguns países um maior número de casos. Não sabemos como isso afetará o Brasil, mas não devemos ter otimismo exagerado como guia. Estamos em um cenário que a observação da evolução dos indicadores é que vai nos dar pistas sobre como enfrentar a epidemia nesses próximos dois meses do ano”, disse o pesquisador Ion Andrade, em entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, nesta segunda-feira, 1º.

 

A última vez que o Rio Grande do Norte havia registrado o percentual acima dos 50% da capacidade instalada foi em 22 de julho. Naquele dia, a ocupação de leitos de UTI encontrava-se em 50,44%. O total de leitos operacionais àquela época era de 342. Deste total, 172 estavam ocupados. Os índices de leitos ocupados começaram a cair no início de junho, quando quase a totalidade dos leitos estava ocupada.

 

Durante os meses de julho, agosto, setembro e outubro, o Rio Grande do Norte registrou queda nos números chegando a menor taxa de ocupação em 29 de setembro. O percentual de ocupação neste dia foi de 21,76%. Dos 216 leitos operacionais disponibilizados para o tratamento da doença, apenas 47 estavam ocupados com pacientes acometidos pelo SARS-CoV-2, vírus causador do novo coronavírus.

 

O pesquisador informou ainda no matinal da emissora natalense que a pandemia tem seguido ciclos e o ano de 2021 vem sendo uma réplica de 2020. Ele afirma que os próximos 60 dias devem definir os rumos da pandemia.

 

“Novembro e dezembro vão definir rumos para a epidemia. Foi no último trimestre do ano passado que começaram a ocorrer os repiques. Portanto, o que será de novembro? Se novembro quebrar essa similaridade que a gente tem constatado entre 2020 e 2021, será uma excelente notícia para 2022”, frisou.

 

“Em outubro de 2020, estávamos com 191 pacientes internados. Hoje, temos 186 pacientes internados. Portanto, há uma simetria que nos aconselha muita prudência porque o número de casos começou a aumentar no ano passado durante o último trimestre que se prolongou no ano seguinte com uma explosão de casos no primeiro e segundo trimestre de 2021. Precisamos de prudência na gestão, estamos em um enfrentamento com bons resultados, mas não podemos baixar a guarda”, relembrou.

 

Até o encerramento desta reportagem, o Seridó estava com 50% de leitos críticos ocupados, a Região Metropolitana com 51,2% e a Região Oeste obtendo 40,91%.

 

Dos 192 leitos críticos Covid instalados atualmente, 85 estavam ocupados, o que equivalia a 44,27%, 92 vagos, o que representava 47,92%, além de 15 bloqueados, ou pouco mais de 7% dos leitos de UTI instalados.

 

Ainda de acordo com o Regula RN, havia três pacientes com perfil de leito crítico na lista de espera e outros três na mesma situação aguardando a avaliação do prestador (hospital). Quatro pacientes com perfil de leito crítico aguardavam transporte.

 

USO DA MÁSCARA

 

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) anunciou recentemente que recomendará à Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) a flexibilização do uso de máscaras em locais abertos. A medida é para quando 70% da população adulta do RN estiver totalmente vacinada. A previsão é que esse percentual seja atingido nesta primeira semana de novembro.

 

Em nota publicada no último domingo, 31, a Secretaria Estadual de Saúde informou que ainda é cedo para pensar em flexibilização do uso de máscara. A pasta lembra que o atual momento da pandemia da Covid-19 é de manutenção dos cuidados sanitários, inclusive para os relacionados ao uso da máscara, principalmente em ambientes fechados e a lavagem das mãos e uso frequente do álcool gel.

 

A nota também aborda a retomada da Operação Pacto pela Vida e enfatiza que existe um visível aumento do número de casos em todo o estado, assim como a taxa de ocupação de leitos Covid como já tratado.

 

“É importante ressaltar que o Pacto pela Vida que foi reafirmado com nota conjunta assinada por órgãos como Ministério Público, Defensoria Pública do Estado, Cosems, Femurn, entre outros, vem alertar a sociedade para o momento atual e se manterá em atividade com estratégias regionais e locais, conjuntas, de fiscalização, monitoramento de notificações, educação e comunicação de risco, em busca de um enfrentamento coletivo e rápido para um problema que deveremos aprender a conviver juntos, por muito tempo”, diz trecho da nota.

 

“O indicador composto, parâmetro utilizado para dar cor ao mapa do RN tem mostrado o Estado mais amarelo e isso é um sinal de alerta para todos os potiguares. Além disso, está havendo, dia a dia, aumento da taxa de ocupação e do número de solicitações por leitos críticos no Regula RN”, informou o governo ao definir a retomada do “Pacto pela Vida”.


DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente