sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

Covid-19: vacina nas mães transfere mais anticorpos a bebês do que infecção

Uma pesquisa realizada pelo Massachusetts General Hospital, nos Estados Unidos, apontou que bebês de mães que tomaram a vacina contra a Covid-19 possuem mais anticorpos contra a doença do que aqueles em que a mãe foi apenas infectada pelo SARS-CoV-2. 

 

A pesquisa acompanhou 77 gestantes que receberam a vacina de RNA mensageiro e outras 12 que haviam contraído a Covid-19 entre 20 e 30 semanas de gravidez. Após seis meses do parto, os pesquisadores coletaram amostras de soro capilar das crianças.  

 

A diferença entre as crianças é surpreendente, afirmam os pesquisadores. Ao comparar os níveis de anticorpos dos dois grupos, apenas 8% dos bebês de mães infectadas tinham taxas de anticorpos significativas, enquanto 57% dos bebês de mães imunizadas registraram níveis significativos de proteção. 

“Entender a persistência dos níveis de anticorpos maternos em bebês é importante porque a Covid-19 nesta faixa etária é responsável por uma porcentagem desproporcional de mortes pediátricas e também porque a vacina contra o coronavírus ainda não está liberada e sendo administrada no público-infantil com menos de seis meses”, explicam os pesquisadores.  

 

Os responsáveis pelo estudo ainda afirmam que é necessário aprofundar a pesquisa que ainda possui muitas limitações. “No entanto, estes achados fornecem ainda mais incentivo para as gestantes buscarem pela vacinação contra Covid-19”, concluem. 

 

Covid-19 pode destruir placenta e causar a morte de fetos

 

Em outra pesquisa, cientistas apontam que a Covid-19 durante a gestação pode causar a destruição da placenta e levar a morte de fetos. De acordo com o estudo, os casos incomuns podem ser evitados com a vacinação contra o SARS-CoV-2. 

 

A pesquisa analisou o tecido placentário e de autópsia de 64 natimortos e quatro recém-nascidos que vieram a óbito logo após o nascimento, todos frutos de mulheres não vacinadas que foram contaminadas pela Covid-19 durante a gestação. 


Olhar Digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente