sábado, 2 de abril de 2022

Rio Grande do Norte foi atingido por mais de 50 mil raios em 2022

O Rio Grande do Norte foi atingido por cerca de 50 mil descargas atmosférica (raios) entre 1 de janeiro e 28 de março de 2022, de acordo com dados do Climatempo repassados à Neoenergia Cosern. Esse volume representa um aumento de 338% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

“Os raios podem causar danos significativos na estrutura do sistema elétrico e provocar interrupções no fornecimento de energia”, lembra Osvaldo Tavares, superintendente de Serviços Técnicos da Neoenergia Cosern.

 

“Estamos trabalhando de olho na previsão do tempo e com equipes de plantão reforçadas para solucionar todas as ocorrências no menor tempo possível e com toda segurança para nossos colaboradores”, complementa o superintendente.

De 1 de janeiro até 28 de março, o Centro de Operações Integradas (COI) da Neoenergia Cosern registou 1.496 interrupções no fornecimento de energia elétrica provocada por raios – um crescimento de 72 % em relação ao mesmo período do ano passado e que já supera o total de 2021, que somou 869 ocorrências.

 

No caso mais relevante, entre o final de fevereiro e início de maio, 799 descargas registradas ao longo de nove dias danificaram 113 isoladores (estruturas no alto dos postes que seguram os cabos) numa linha de transmissão entre a Subestação Elétrica Major Sales e a cidade de Icó, no Ceará.

 

Durante a substituição dos isoladores, a Neoenergia Cosern também instalou sensores inteligentes em pontos estratégicos da linha para agilizar o reparo em caso de novos danos provocados pelos raios.

 

Além de provocar perturbações no sistema elétrico da distribuidora, o efeito de uma descarga atmosférica pode comprometer as instalações elétricas das residências.

 

 “A energia contida no raio sempre procura a terra”, explica Valfidro Holanda, gerente de Segurança da Neoenergia Cosern.

 

“Ao atingir uma edificação, o caminho natural que a energia percorre é por meio das partes condutivas das instalações elétricas, as ferragens estruturais ou, quando existentes, os cabos e hastes específicos para esta função”, lembra Valfrido.

 

“Por isso, é recomendável que durante uma tempestade acompanhada de raios as pessoas retirem os aparelhos elétricos das tomadas como forma de prevenção a choques e danos nos eletrodomésticos”, complementa o gerente.

 

Estatísticas e prevenção

 

Do ponto de vista do risco de acidentes, a probabilidade de alguém morrer atingido por um raio é de 0,8 por 1 milhão por ano no Brasil, mas ela pode aumentar para a ordem de 1 para 1.000, dependendo de onde a pessoa está e o que está fazendo durante uma tempestade.

 

Por isso, é preciso saber o que fazer e o que evitar quando se escuta um trovão (barulho característico de um raio). De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Governo Federal, 80% dos casos de morte provocada por raios podem ser evitadas se as pessoas souberem como se proteger. Confira as orientações de segurança:

 

Ao ar livre, sempre mantenha uma distância segura da rede elétrica, independente se estiver chovendo ou não;

 

Recomenda-se ficar dentro de casa ou em local abrigado durante a chuva;

 

Não instale, desligue ou remova antenas se estiver chovendo. Se sua antena cair sobre a rede ou próximo a ela, nunca tente segurá-la ou recuperá-la;

 

Desconecte das tomadas, com segurança e sempre pelo plug, os aparelhos eletrônicos que não estiverem sendo usados;

 

Caso encontre um fio caído, jamais se aproxime e ligue imediatamente para o 116 da Neoenergia Cosern.

 

Não pratique atividades de agropecuária ao ar livre durante tempestades pois esta é a circunstância mais vulnerável durante uma tempestade com raios;

 

Afaste-se de carros e tratores e não ande de moto, bicicletas nem fique ao lado de transportes em geral;

 

Evite ficar em lugares abertos como praias, campos de futebol, embaixo de árvores ou perto de cercas;

 

Evite tocar em objetos que conduzem eletricidades, tais como celular conectado ao carregador, telefone com fio e objetos metálicos grandes;

 

Não se abrigue em locais abertos como sacadas, varandas, toldos, deques etc.

 

Opção segura de abrigo, caso esteja na rua: busque um veículo fechado e fique dentro dele, com as portas e janelas fechadas, sem encostar-se à lataria até a tempestade passar.

 

Por ano, segundo o Inpe, caem 77,8 milhões de raios por ano no nosso país e a explicação para esse número tão expressivo é geográfica: o Brasil é o maior país da zona tropical do planeta – área central onde o clima é mais quente e, portanto, mais favorável à formação de tempestades e de raios.

 

Qual a diferença entre relâmpagos e raios?

 

Relâmpagos são todas as descargas elétricas geradas por nuvens de tempestades que se conectam ou não ao solo. Já os raios são apenas as descargas que se conectam ao solo.

 

Como os raios nos atingem?

 

As pessoas expostas aos raios, na maioria das vezes, são atingidas por correntes indiretas que vem, por exemplo, pelo chão.


DeFato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente