quinta-feira, 24 de março de 2022

Psicóloga é presa após guarda municipal encontrar filho adolescente e 23 cachorros abandonados em Mossoró

Uma psicóloga de 43 anos foi presa em flagrante pela Polícia Civil em Mossoró, no Oeste potiguar, após a guarda municipal receber uma denúncia e encontrar um adolescente de 14 anos e 23 cachorros em situação de abandono em meio a lixo, urina e fezes, em uma casa do bairro Abolição II. O caso aconteceu nesta quarta-feira (23).

 

A prisão em flagrante foi registrada pelo crime de maus-tratos aos animais.

 

De acordo com o delegado José Vieira, da 2ª Delegacia de Polícia Civil, até o momento da prisão o conselho tutelar ainda não tinha apresentado denúncia à corporação sobre o abandono do adolescente, que é filho da mulher e de um vereador da cidade.

Ele afirmou que, a depender das investigações, os pais também podem responder por abandono de incapaz. O garoto foi entregue aos cuidados de um tio e outros familiares.

 

Em contato com a Inter TV Costa Branca, o pai do garoto afirmou que lutava pela guarda compartilhada do filho há dois anos, na Justiça, e alegou que a mulher tinha afastado o menino do convívio de toda família. Ele também afirmou que só tomou conhecimento da situação nesta quarta-feira (23) e que já se encontrou com o filho.

 

Já o advogado da mulher disse que ela não vai falar sobre o assunto, por enquanto.

 

Na delegacia, segundo a Polícia Civil, a psicóloga afirmou que tinha viajado com o filho há cerca de 15 dias para a cidade de Serra do Mel, no Oeste potiguar. Eles teriam retornado a Mossoró na manhã de quarta-feira (23), porém, ela relatou que precisou voltar e deixou o menino no local.

 

"Não tinha água, não tinha comida, os animais estavam há mais de 15 dias sem comer e apenas tomando água da chuva. A casa estava muito suja e os vizinhos estavam reclamando do fedor, pelos dejetos dos animais. Ela confirmou que há 15 dias viajou e supostamente teria deixado uma pessoa para cuidar, mas pela situação a gente verificou que tinha ninguém no local", disse o delegado.

 

De acordo com José Vieira, o crime de maus-tratos contra os cachorros não tem fiança e a mulher foi conduzida para um Centro de Detenção Provisória, para aguardar audiência de custódia. Nas redes sociais, a mulher se apresenta como psicóloga clínica especializada em transtorno psicológicos e palestrante.

 

Protetores de animais que foram ao local afirmaram que, por causa da fome, alguns dos animais já estavam praticando canibalismo, atacando cachorros menores. Até a carcaça de um animal foi encontrada na residência. Os cães foram entregues aos cuidados de organizações não governamentais.


G1RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente