quinta-feira, 28 de julho de 2022

Petrobras reduz preço da gasolina em R$ 0,15 por litro para distribuidoras

A Petrobras anunciou hoje uma redução de R$ 0,15 por litro no preço da gasolina para as distribuidoras. O preço médio de venda do combustível da estatal vai passar de R$ 3,86 para R$ 3,71 por litro e vale a partir de amanhã. A redução equivale a uma queda de 3,9%.

  

"Essa redução acompanha a evolução dos preços de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina, e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio", disse a empresa.

Ainda segundo o comunicado divulgado pela Petrobras, a parcela da empresa no preço ao consumidor passará de R$ 2,81, em média, para R$ 2,70 a cada litro vendido na bomba.

 

Essa foi a segunda vez consecutiva que a estatal diminuiu o preço da gasolina vendida às distribuidoras. A primeira foi na semana passada, na terça-feira, (19), quando a Petrobras informou que o valor do combustível seria reduzido em R$ 0,20 por litro, de R$ 4,06 para R$ 3,86.

 

Mudança na política de reajustes

 

A nova redução ocorre um dia após a empresa mudar a dinâmica de reajuste dos combustíveis. Em comunicado divulgado ontem, a Petrobras informou que o conselho de administração e o conselho fiscal da companhia passarão a supervisionar a execução da política de preços.

 

Para isso, a diretoria executiva da estatal —que é responsável por determinar os reajustes dos combustíveis— deverá informar os dois conselhos, a cada três meses, sobre a evolução dos preços do diesel, da gasolina e do gás no Brasil, além da participação da Petrobras em cada mercado.

 

Segundo especialistas do mercado de petróleo, a mudança aumenta a pressão do governo federal sobre as decisões de preços.

 

Mas quem decidirá sobre os preços? Ao mesmo tempo, a estatal deixou claro que é a diretoria executiva que determina os preços. Isso vai continuar, apesar da supervisão por parte dos conselhos. A diretoria executiva é formada pelo presidente da estatal e por oito diretores.

 

A política de preços vai mudar? A Petrobras também reforçou que os reajustes continuarão a ser feitos com base na política de PPI (Preços de Paridade de Importação), que leva em conta os preços dos combustíveis no mercado internacional.

 

Na prática, a novidade é a "supervisão" por parte dos conselhos de administração e fiscal. No comunicado, porém, a Petrobras afirma que a mudança apenas formaliza "prática já existente".

 

Redução do ICMS nos estados

 

Desde o começo deste mês, estados estão reduzindo a alíquota do ICMS sobre os combustíveis em atendimento à lei aprovada no Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) que limita a porcentagem do imposto sobre esses produtos e serviços, que passaram a ser considerados essenciais.

 

Além dos combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo são impactados pela redução da alíquota.

 

O movimento foi uma tentativa do governo de frear a escalada de preços no Brasil, principalmente a dos combustíveis. No início deste mês, integrantes do Centrão chegaram a avaliar que Bolsonaro pode perder as eleições se o governo não conseguir baixar o preço dos combustíveis e passaram a fazer pressão para que alguma medida fosse tomada.


UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reflita, analise e comente